Fiscais da Prefeitura de São Paulo decidem manter greve

Apesar da medida, categoria afirma que negociações com prefeitura estão progredindo e a paralisação poderá ser suspensa na próxima semana

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Os agentes vistores de São Paulo fizeram uma assembleia nesta quarta-feira (18) e decidiram manter a greve iniciada no último dia 12. Apesar disso, a categoria afirmou que as negociações com a prefeitura estão progredindo e a paralisação poderá ser suspensa na próxima semana.

Segundo Maria Benedita Clarete Alves Fortunato, presidente do sindicato, a prefeitura sinalizou que vai formar um grupo com representantes da categoria e de secretarias municipais para começar um estudo de projeto de lei para a reestruturação do plano de carreira dos fiscais ainda neste ano.

Fortunato afirmou que a proposta é "bastante importante" e que os trabalhos da categoria serão retomados assim que for publicada a portaria que criará o grupo de discussões. Ela diz acreditar que a publicação deve ocorrer no próximo dia 25.

O sindicato da categoria aponta que 85% dos fiscais da prefeitura aderiram à paralisação. Com isso, Fortunato diz que a cada cinco dias, a categoria deixa de aplicar R$ 5 milhões em multas. A cidade tem, ao todo, 406 fiscais.

A prefeitura foi procurada para comentar as negociações com a categoria e a adesão ao movimento, mas ainda não respondeu. No início da greve, ela disse que a GCM (Guarda Civil Metropolitana) também coíbe a ação de vendedores ambulantes e publicidade não regulamentada, o que é normalmente atribuído aos fiscais.

O sindicato afirmou que também reivindica reajuste salarial, mas não estipulou o valor do aumento e disse que essa negociação acontece em paralelo, com os demais servidores. O salário base dos agentes vistores é de R$ 1.640, que chega a cerca de R$ 4.000 com a progressividade e outros benefícios. O último reajuste salarial teria sido concedido em 2007.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave