PL que prevê pagamento de aumento salarial será entregue a Câmara

Prefeitura de Belo Horizonte se comprometeu em entregar texto nos próximos dias; destas categorias, a única que não foi incluída no projeto foi a área da Educação, já que a categoria não aceitou a proposta do governo municipal

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) enviará nos próximos dias para à Câmara Municipal um Projeto de Lei relacionado ao “pagamento de abono e reajuste salarial” dos servidores municipais que entraram em greve no último mês e aceitaram acordo com a PBH. Destas categorias, a única que não foi incluída no texto foi a área da Educação, já que o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte (SIND-REDE) não aceitou a proposta do governo municipal.

Os professores exigem mudanças na carreira de pedagogo da Educação Infantil, tendo como referência o modelo de carreira do professor municipal e ampliação do tempo dedicado pelos professores às ações de planejamento escolar.

A última proposta oferecida à categoria foi de 7% de aumento divididos em duas etapas e acréscimo de 8,82% ao vale-alimentação, a partir de novembro.

Além dessas medidas, a PBH ainda definirá agenda de discussões setoriais com as categorias de profissionais que demandam revisões específicas em suas carreiras.

Por meio de nota à imprensa, a PBH informou que serão descontados nos contracheques do mês de junho/2014, a serem entregues em julho/2014, os valores correspondentes aos dias de paralisação dos servidores e empregados públicos que participaram do movimento grevista.

Ainda segundo a prefeitura o pagamento poderá ser efetuado ainda no mês de julho caso o SIND-REDE “pactue imediatamente com a Secretaria Municipal de Educação calendário de reposição desses dias de paralisação das aulas”.

A reportagem tentou contato com o SIND-REDE, por meio dos números de telefones disponibilizados no site da instituição, porém, sem sucesso.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave