Dados de celular triplicam nos estádios em comparação com a Copa 2010

Mais de 7,6 milhões de comunicação dados foram transmitidos durantes os jogos da Copa do Mundo no Brasil

iG Minas Gerais | ANA PAULA PEDROSA |

Antes de entrar no estádio, o torcedor faz uma selfie. Quando entra, tira uma foto do gramado ou da torcida. No intervalo, registra a farra com a torcida ou a comida típica. Na hora do gol, a comemoração é eternizada em vídeo para ser compartilhado com os amigos.  E assim, a Copa do Brasil vai sendo transmitida em tempo real pelas redes sociais e aplicativos de mensagens.     No primeiro jogo realizado em cada estádio foram feitas cerca de um milhão de ligações telefônicas e 7,6 mihões de comunicação de dados, incluindo fotos, vídeos, e-mails e outros. Somente fotos foram sete milhões, com tamanho médio de 0,55 MB. Do total de fotos, meio milhão foram feitas no jogo entre Brasil X México, na última terça-feira. Os dados são do Sinditelebrasil, sindicato que representa as operadoras.    O volume de ligações é maior antes das partidas e nos estádios onde não há wi-fi gratuito, caso do Mineirão. Já o envio de dados tem seu pico entre o início do jogo e o começo do segundo tempo. Os dados foram coletados durante sete horas, sendo três horas antes das partidas e duas horas depois, além das duas horas de jogo. A rede 3G é a mais utilizada.    De acordo com o Sinditelebrasil, o número de acessos em banda larga móvel subiu mais de três vezes desde a última Copa do Mundo, em 2010. Quando a bola rolou na África do Sul, o mundo tinha 800 milhões de terminais com internet móvel. Em 2013, já eram 2,5 bilhões. 

Leia tudo sobre: Copa do 2010MundialCopaConectivdadeDados