Bolsa atinge maior nível desde outubro

Volume financeiro no pregão foi de R$ 15,995 bilhões, bem acima da média diária de R$ 5,601 bilhões no mês

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O principal índice da Bolsa brasileira interrompeu uma sequência de três quedas e fechou esta quarta-feira (18) em alta de 1,66%, aos 55.202 pontos, após o Fed (banco central dos Estados Unidos) ter afastado a possibilidade de aumento no juro básico americano antes de 2015 e com o mercado a espera de nova pesquisa eleitoral.

Com isso, o Ibovespa atingiu a maior pontuação desde 23 de outubro de 2013, quando fechou em 55.440 pontos. O volume financeiro no pregão foi de R$ 15,995 bilhões, bem acima da média diária de R$ 5,601 bilhões no mês. Isso, segundo analistas, reflete o vencimento de opções sobre o Ibovespa e sobre índice futuro, que aconteceu nesta quarta na BM&FBovespa.

"Os investidores começaram o dia com o pé no freio, mas ficaram mais tranquilos após a decisão do Fed, que ficou em linha com o esperado", diz Filipe Machado, analista da Geral Investimentos. Segundo ele, a alta também foi questão de fluxo. "O índice respeitou o suporte que tinha na casa dos 54.200 pontos e voltou a subir, mantendo sua tendência de alta no curto prazo", acrescenta.

O Fed anunciou nesta tarde um novo corte em seu programa de compra mensal de ativos, que passou de US$ 45 bilhões para US$ 35 bilhões ao mês (US$ 20 bilhões em títulos públicos e US$ 15 bilhões em títulos hipotecários).

Com a medida, a autoridade monetária americana deu sequência ao corte gradual que tem feito no estímulo desde janeiro. A intenção é eliminar 100% do programa até o fim deste ano.

A taxa de juros americana foi mantida em seu menor nível histórico, perto de zero, o qual deve permanecer até 2015, pelo menos, segundo o comunicado do Fed. A notícia também beneficiou o mercado de câmbio, com o dólar à vista, referência no mercado financeiro, fechando em queda de 0,42% sobre o real, cotado em R$ 2,252 na venda. Já o dólar comercial, usado no comércio exterior, cedeu 1,19%, para R$ 2,230.

"A manutenção do juro perto de zero nos EUA faz com que os estrangeiros mantenham por mais tempo suas aplicações nos emergentes. Entre ganhar nada lá [nos EUA] sem risco e ganhar mais aqui [nos emergentes] com risco controlado, ainda vale a pena ficar aqui", completa Machado.

A presidente do Fed, Janet Yellen, afirmou ser preocupante a possibilidade de a pouca volatilidade nos mercados induzir a tomada de risco. O Fed também reduziu a projeção de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) dos EUA em 2014 de cerca de 2,9% para a faixa entre 2,1% e 2,3%.

Ações

As ações do setor elétrico dominaram a ponta positiva do Ibovespa. O mercado, segundo analistas, avaliou a chance de nova ajuda do governo a distribuidoras, após a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) ter admitido na terça que o preço da energia de curto prazo (PLD) segue acima do que o setor pode suportar.

As ações da Petrobras também subiram fortemente e ajudaram o Ibovespa a sustentar seu ganho. O mercado aguarda a divulgação da pesquisa eleitoral encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) ao Ibope. De acordo com o site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a divulgação do levantamento está prevista para amanhã, feriado de Corpus Christi, quando a Bolsa brasileira estará fechada.

Na terça, os papéis da Petrobras caíram mais de 2% com boatos de que a presidente Dilma Rousseff (PT) seria favorecida na próxima pesquisa eleitoral após reações contrárias aos xingamentos sofridos por ela durante a abertura da Copa do Mundo, em São Paulo, no último dia 12.

Nesta quarta, as ações preferenciais (com direito a voto) da Petrobras subiram 3,71%, enquanto as ordinárias (sem direito a voto) avançaram 3,64%.

Câmbio

Além do Fed, as atuações do Banco Central do Brasil no câmbio também ajudaram o dólar a perder força sobre o real nesta quarta-feira. O BC deu continuidade ao seu programa de intervenções diárias, através do leilão de 4 mil contratos de swap (operação que equivale a uma venda futura de dólares), pelo total de US$ 198,3 milhões.

A autoridade também realizou outro leilão de 10 mil contratos de swap para rolar os vencimentos de 1º de julho, por US$ 494 milhões. Até agora, o BC já rolou cerca de 57% dos papéis que vencerão no primeiro dia do mês que vem.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave