Mineirão e outros estádios recebem certificado ambiental

Certificado internacional foi concedido na última terça-feira (17)

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Mineirão é o primeiro estádio da Copa de 2014 a inaugurar usina solar
Renato Cobucci / Imprensa MG
Mineirão é o primeiro estádio da Copa de 2014 a inaugurar usina solar

O U.S. Green Building Council (USGBC) – Conselho de Construções Verdes dos Estados Unidos, em tradução livre – concedeu nesta terça-feira (17) um certificado internacional de construção sustentável (LEED) para seis estádios brasileiros construídos ou reformados para a Copa do Mundo no Brasil. Entre eles está o Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, localizado na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Segundo as informações da USGBC, o certificado LEED foi concedido à Arena Castelão, localizada em Fortaleza. Já a certificação LEED Prata foi para as arenas Fonte Nova e Multiuso, ambas em Salvador; para a arena Amazônia, em Manaus; para o Maracanã, no Rio de Janeiro; e, também, para o estádio mineiro. 

"À medida que os olhos do mundo caem sobre o Brasil, estes projetos estão demonstrando não só a aplicabilidade e a adaptabilidade do sistema de classificação do LEED no mundo inteiro, mas também a posição de liderança do Brasil na vanguarda do movimento para construções sustentáveis de alta performance", disse Rick Fedrizzi, presidente fundador da USGBC.

Felipe Faria, diretor executivo do Green Building Council Brasil, destacou que o país está fazendo história com essas certificações "Somos gratos pela liderança demonstrada pelos profissionais do mercado e aplaudimos suas realizações. Os diversos elementos sustentáveis incorporados a estes estádios irão reduzir o impacto ambiental dos jogos no Brasil desde o acesso de trânsito a redução do consumo de água e energia", afirmou.

O Mineirão

Minas Gerais entregou ainda em 2013 a Usina Solar Fotovoltaica (USF), que foi instalada na cobertura do Mineirão, após mais de seis meses de construção. Ela será capaz de gerar energia para abastecer o equivalente a 900 residências. Toda a produção atinge 80% do que o Mineirão precisa, mas apenas 10% irá para o estádio. A energia será transmitida diretamente para a rede elétrica da Cemig.

A USF faz parte de um projeto chamado Mineirão Solar, que pretende abastecer também o entorno do estádio, como o Mineirinho e o futuro Centro de Treinamento Esportivo (CTE). A Cemig ainda pretende expandir o projeto.

No Brasil, mais outros quatro estádios também produzirão energia solar, mas o Mineirão é o primeiro a entregar a usina. Os outros são Maracanã, Mané Garrincha, Arena Pernambuco e Arena Fonte Nova. Inicialmente, estimava-se que a energia seria capaz de abastecer até 1.500 residências.

“Os relatórios de sustentabilidade estão sendo feitos desde o início da obra. É um equipamento muito moderno, que está seguindo o mais importante, que é a sustentabilidade ambiental”, explicou o secretário extraordinário para a Copa do Mundo da Secopa-MG, Tiago Lacerda. A instalação teve um custo de cerca de R$ 10,5 milhões, sendo 80% financiados com recursos do Banco de Desenvolvimento da Alemanha (KfW). A própria inspiração para a construção também veio da Alemanha, da cidade de Freiburg, considera a capital solar do país.

Leia tudo sobre: mineirãosolarcertificado ambientalLEEDUSGCS