Governo abre consulta para implantação de trem que ligará BH a Confins

A expectativa é de que o trajeto entre o centro e o aeroporto dure, em média, 39 minutos e de que os passageiros possam embarcar em estações instaladas em pontos estratégicos, como a UFMG e Cidade Administrativa

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

Transporte sobre trilhos deve ligar o centro de Belo Horizonte ao Aeroporto de Confins
Governo do Estado/Reprodução
Transporte sobre trilhos deve ligar o centro de Belo Horizonte ao Aeroporto de Confins

Foi assinado nesta quarta-feira (18), o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para o Transporte Metropolitano sobre Trilhos, que fará a ligação entre o hipercentro de Belo Horizonte e o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana da capital.

Autorizado pelo governador do Estado, Alberto Pinto Coelho, o PMI é uma consulta geral da qual podem participar empresas, universidades e pessoas físicas. O objetivo é receber propostas que apresentem alternativas para melhorar a mobilidade urbana do Vetor Norte da região metropolitana de Belo Horizonte. Atualmente, 220 mil passageiros passam pela região diariamente e a previsão para os próximos 20 anos é de que este número chegue a 300 mil.

O transporte sobre trilhos é exigência do PMI porque possui capacidade de transporte entre média e alta e, deste modo, pode levar mais pessoas do que outros tipos de modais. Além disso, por não passar pelas vias de trânsito convencional, este tipo de transporte oferece a  possibilidade da programação exata dos horários de deslocamento.

A abertura do PMI deve ser publicado no Diário Oficial nesta quinta-feira (19) e, a partir da publicação, os interessados terão 45 dias para enviar seus projetos, que devem levar em conta a redução no tempo de viagem e a conexão com a Cidade Administrativa e com as estações do metrô e do Move, além de fazer a menor interferência possível nas vias já existentes e planejadas da cidade.

A expectativa é de que o trajeto entre o centro e o aeroporto dure, em média, 39 minutos e de que os passageiros possam embarcar em estações instaladas em pontos estratégicos, como a UFMG, o Aeroporto da Pampulha e Cidade Administrativa. A intenção, também, é ter veículos paradores saindo das estações a cada três minutos e uma opção de linha expressa, que terá partidas a cada 15 minutos.

O custo total da obra está estimado em R$ 2,2 bilhões e o projeto será desenvolvido e executado por meio uma Parceria Público-Privada (PPP).

Leia tudo sobre: monotrilhotransporte sobre trilhosbelo horizonteconfinspmippp