Espanha pega o Chile em duelo de vida ou morte

iG Minas Gerais | Ricardo Plotek |

Del Bosque tem a difícil missão de elevar o moral de seu time após estreia
Márcio Mercante
Del Bosque tem a difícil missão de elevar o moral de seu time após estreia

Quem diria que a atual campeã do mundo e bicampeã da Europa pudesse chegar à segunda rodada da primeira fase da Copa do Mundo de 2014 correndo o risco de ser desclassificada? Esse é o drama da Espanha, que, nesta quarta, às 16h, no Maracanã, no Rio de Janeiro, pelo grupo B, tem que vencer o Chile se quiser seguir com chances de ir às oitavas de final do Mundial. Caso os chilenos vençam o jogo e a Holanda não perca da Austrália, em jogo às 13h desta quarta-feira, no Beira-Rio, em Porto Alegre, a Espanha está fora da Copa.

“Os dias desde a partida com a Holanda têm sido longuíssimos para todos”, afirmou nessa terça o técnico da Espanha, Vicente Del Bosque, referindo-se a goleada sofrida por seu time na estreia, por 5 a 1. “Essa espera é muito difícil”, disse o meia Iniesta. “Poderíamos ter jogado um dia depois, ou dois dias depois”, ressaltou o jogador do Barcelona.

Já o Chile, depois de ter vencido a Austrália por 3 a 1, sabe que o empate é um bom resultado, mas ensaia um discurso bastante confiante para a partida.

“Nós sempre adotamos o mesmo estilo de jogo. Não vamos mudar”, enfatizou nessa terça o técnico Jorge Sampaoli, que promete um time ofensivo. “Empate não é ruim, mas a nossa equipe não vai jogar com o empate em mente. Queremos ganhar. Estamos levando em consideração, o tempo todo, que a Espanha sabe que, se perder, está fora. Vai ser um jogo muito tenso mas, acredito, muito interessante para o público”, completou o treinador.

Esse grupo cruza com a chave do Brasil nas oitavas.

Holanda é mais que favorita Embora nunca tenha vencido a Austrália nos três amistosos entre as duas seleções, a Holanda é a grande favorita na partida desta quarta às 13h, no Beira-Rio, em Porto Alegre, que deve valer a classificação antecipada às oitavas de final da Copa no grupo B, ainda mais após o passeio holandês na estreia (5 a 1 na Espanha). “Nunca vencemos a Austrália. Já jogamos três vezes contra eles e nunca vencemos. Pode ser difícil, ainda mais depois do 5 a 1 que fizemos. Todos vão colocar uma pressão muito grande sobre nós”, ressaltou nessa terça o precavido meia Sneijder.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave