A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações verde-amarelas! Antes do assunto de hoje, que é a seleção brasileira, eu gostaria de registrar a minha imensa dor pela perda do meu amigo e ex-jogador Paloma, que faleceu precocemente na tarde da última segunda-feira. Minhas condolências à família desse cara que vai deixar muita saudade. Agora sobre o jogo. O Brasil, a exemplo da primeira partida, não jogou bem. Foi um time lento, burocrático e sem criatividade, com muitas falhas no seu setor de marcação, e muito preso à acirrada marcação mexicana. Quando Bernard entrou no jogo, o rendimento melhorou um pouco, mas ainda assim o time deu muito espaço para o México, que tocou a bola com tranquilidade e muita liberdade para arriscar chutes de fora da área. E o frustrante empate acabou sendo o resultado mais justo. Se não melhorar, não aguenta os próximos adversários.

A voz Celeste

Se os treinadores brasileiros não se reciclarem, vamos continuar empatando dentro de casa com México e outras seleções de um nível bem inferior que o Brasil. Vocês, meus leitores, são testemunhas de que falo isso há muito tempo. Foi um 0 a 0 terrível para quem gosta do futebol ofensivo. Não tenho dúvida de que o Brasil é o maior favorito ao título e acredito na nossa seleção pelo poder da torcida e o calor humano do povo brasileiro, apesar de que ninguém, além dos escolhidos de Felipão, pode entrar em campo. Mas existem seleções jogando um futebol bem melhor nesta Copa do Mundo. O Brasil empatava aqui, e o maior de Minas viajava para os Estados Unidos para fazer a intertemporada, que no ano passado deu tão certo. Amistosos serão vistos só pelos cruzeirenses que estão na terra do Tio Sam, porque o pacote estava o olho da cara.

Avacoelhada

Parcerias com clubes que vão disputar a segunda divisão do Mineiro poderão potencializar o desenvolvimento dos jogadores do sub-20. Atletas em formação precisam de desafios fora da zona de conforto para acelerar o processo de aprimoramento. A melhoria deve ser contínua até mesmo no profissional. O promovido também necessita de treinamentos diferenciados e intensivos durante a transição para a equipe principal. Hugo, Glauco, Marcelinho, Williams, Messias, Paulinho, Renato, Renatinho, Patrick, Xavier e Bruno Sávio são alguns dos atuais juniores que estão na fase de participar de competições profissionais. Assim, estarão mais bem preparados quando subirem. Da mesma forma, Bruno e João Vitor, que subiram, mas não tiveram chances entre os titulares. A torcida americana ficou triste sem a presença do sorriso marcante de Paloma.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave