Mulher de senador sofre sequestro-relâmpago em Porto Alegre

Com a ajuda da empresa de monitoramento de veículos, policiais conseguiram identificar que o carro estava em que a vítima estava

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A mulher do senador Pedro Simon (PMDB/RS), Ivete Fülber, sofreu um sequestro-relâmpago na noite desta segunda-feira (16) em Porto Alegre.

Com arma apontada para a cabeça, Ivete permaneceu por cerca de 30 minutos dominada pelos criminosos. Segundo a Polícia Civil, ela foi rendida na porta do prédio onde mora, quando chegava de carro, com compras do supermercado, acompanhada da filha de dez anos.

Dois homens encapuzados abordaram Ivete. Como a menina estava mais próxima do portão do prédio, a mulher conseguiu despistar os assaltantes para que não vissem a criança.

Os dois entraram no carro com a vítima e fugiram. O filho, que fazia aniversário, viu a cena e tentou em vão correr atrás do veículo.

Os criminosos colocaram Ivete com as mãos amarradas, no banco de trás. Ela contou à polícia que a todo momento recebia ordens de ficar com a cabeça abaixada, mas que soube ficar calma e que não revelou o parentesco com o senador.

Segundo relato da vítima à polícia, a dupla parou em uma vila já fora de Porto Alegre e retirou toda a compra, inclusive a picanha comprada para celebrar o aniversário do filho. Também anéis foram levados e objetos pessoais do carro.

Outros assaltantes participaram do sequestro-relâmpago. Ao todo, a vítima foi conduzida para três caixas eletrônicos, onde os ladrões efetuaram saques de pequeno valor, inferiores a R$ 1.000. Depois, deixaram Ivete ir embora com o próprio carro.

O filho que flagrou o sequestro alertou a delegacia. Com a ajuda da empresa de monitoramento de veículos, policiais conseguiram identificar que o carro estava em movimento, já fora de Porto Alegre, até que localizaram Ivete.

A polícia ainda não tem pista dos suspeitos. Segundo a delegada Vandi Lemos Tatsch, da 8ª Delegacia de Porto Alegre, o carro passou por perícia, e policiais estão percorrendo locais suspeitos de terem sido utilizado pelos criminosos.