Locutora da Fifa para deficientes visuais troca gritos por informações

Mauana Simas é uma das 16 voluntárias para narrar as partidas da Copa para deficientes visuais

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

"Enquanto os narradores normais gritam aquele gol longo, há muita informação em campo. É isso que eu tento contar." Mauana Simas é uma das 16 locutoras voluntárias escaladas pela Fifa para narrar as partidas da Copa do Mundo para deficientes visuais. O serviço está disponível nos jogos disputados em quatro cidades-sedes (Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo) e visa atender a torcedores com deficiência parcial ou total de visão que forem aos estádios do Mundial. Para acessá-lo, basta um rádio normal ou um smartphone, já que as transmissões estão disponíveis em canais abertos de FM. O estilo de locução é bem diferente dos rádios comerciais, sem tantas propagandas ou preocupação com comentários e análises táticas e técnicas. "No começo da partida, por exemplo, temos a preocupação de passar a atmosfera da partida, falar como os torcedores estão vestidos e se há espaços vazios no estádio. O principal é o que está acontecendo em campo", disse Mauana. O treinamento dos profissionais de locução para deficientes visuais durou três meses. A prioridade foi dada a voluntários estudantes de jornalismo. O equipamento adquirido pela Fifa instalado em cada estádio será doado após o Mundial para entidades brasileiras que desejem dar sequência ao projeto no país. Confira as rádios que transmitem o serviço de audiodescrição Belo Horizonte: 103,3 FM Brasília: 98,3 FM Rio de Janeiro: 88,9 FM São Paulo: 88,7 FM

Leia tudo sobre: Copa do Mundo2014locutorainclusaodeficientes visuaisfifa