A ambição da Rússia ou a modéstia sul-coreana

iG Minas Gerais |

Capello proibiu o uso das redes sociais pelos jogadores russos
IVAN SEKRETAREV/AP - 15.6.2014
Capello proibiu o uso das redes sociais pelos jogadores russos

A última estreia na Copa do Mundo de 2014 vai ser o jogo entre Rússia e Coreia do Sul, marcado para esta terça, às 19h, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Curiosamente, quando russos entrarem em campo pela primeira vez, Brasil e México já terão jogado duas partidas cada um. Em um grupo sem um grande favorito, todos podem sonhar.

E sonho não falta para os jogadores da seleção comandada por Fabio Capello. Sede da próxima edição da Copa do Mundo, a Rússia já sonha alto em 2014, nem quer esperar por 2018. “Estamos nos preparando para ganhar este torneio. Todos os nossos homens competem na Rússia, e as pessoas de fora do país não nos conhecem. O importante é que nosso técnico, Fabio Capello, conhece nossas virtudes. Sabemos do que somos capazes e, se cada um conseguir jogar no máximo de suas capacidades, teremos sucesso”, disse o atacante Alexander Kerzhakov.

Apesar de o time não contar com o favoritismo da mídia e dos demais participantes, a meta russa está bem clara: passar de fase. Embora sem o otimismo de Kerzhakov, o zagueiro Berezutski confia em uma grande campanha nos gramados brasileiros. “A Bélgica é a favorita no nosso grupo, tem muitos bons jogadores, todos jovens, com estrelas que ainda têm espaço para crescer. Na minha opinião, essa equipe pode ser uma revelação desta Copa do Mundo. Mas a partida mais importante, atualmente, é a Coreia do Sul. Sempre o próximo jogo será o mais importante”, afirmou.

Se a Rússia fala em surpreender e até mesmo em título, a Coreia do Sul tem objetivo bem mais modesto do que o do rival no grupo H. Conseguir passar de fase, assim como fez na África do Sul, já vai ser uma grande conquista para os asiáticos. Para isso, os coreanos chegaram a Cuiabá antes dos russos afim de terem uma vantagem a mais, pois começar com vitória é fundamental.

“Achamos que podemos ter uma vantagem por estarmos há mais tempo em Cuiabá. Nos falaram sobre o calor daqui, é mais quente que Foz do Iguaçu, mas, felizmente, o clima está agradável”, disse o zagueiro Lee Yong.

Sem redes sociais Numa Copa do Mundo com as redes sociais tão presentes, inclusive com muitos jogadores postando fotos e mensagens durante todo o tempo, os russos seguem na contramão. Orientados pelo técnico Fabio Capello, os selecionados da Rússia estão evitando as redes sociais, especialmente o Twitter. No entendimento do treinador italiano, a presença dos jogadores em redes sociais pode dar pistas da equipe. Para Capello, é importante manter o mistério até os últimos momentos. Por isso, nem mesmo quem vai ser o capitão na ausência do lesionado Roman Shirokov, Fabio Capello adiantou. “Vamos esperar até que seja anunciada a escalação da nossa equipe para o primeiro jogo na Copa”, declarou o treinador.

Delírio coreano A grande esperança de gols da equipe coreana é o meia-atacante Son Heung-Min, de 21 anos, que atua pelo Bayer Leverkusen. Até por conta do estilo de jogo, rápido e com muitos dribles, ele ganhou um apelido dos próprios companheiros. É chamado de “Neymar coreano”. O camisa 9 da Coreia do Sul rejeita o rótulo, mas os amigos insistem em dizer que Son Heung-Min é até melhor do que o Neymar. De acordo com o atacante Kim Shinwook, Son vai mostrar que é melhor do que o camisa 10 do Brasil. “Ele é melhor, vocês vão ver.” Mas não é isso que mostram os números. Son vai precisar fazer muitos mais gols para se aproximar do craque da seleção brasileira. Se Neymar já marcou mais de 30 vezes com a camisa canarinho, Son tem apenas seis gols pela Coreia do Sul.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave