“Não sabe o sofrimento que é”

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

“Eles não sabem o sofrimento que é ficar sem água para beber, para lavar roupa e as coisas de casa”, desabafa Jefferson José Braz, presidente da Associação dos Moradores de Nova Esperança, distrito de de Montes Claros. Ele é um dos 450 mil moradores que terão de esperar mais um ano para ter o abastecimento de água normalizado.  

Neste ano, Braz ficou sem água em alguns dias de janeiro e fevereiro. A previsão, segundo a Copasa informou, é que, a partir de agosto, apareçam as falhas no abastecimento.

“A promessa era que neste ano a obra que eles dizem que vai resolver o problema surtisse efeito, mas ela está parada. Parece que está faltando dinheiro”, afirma o morador, que vive com a mulher e dois filhos.

Braz conta que, além do transtorno e desconforto, a falta de água implica mais custos. “É um absurdo porque já pagamos à Copasa. Quando falta água, compramos um caminhão-pipa com outros vizinhos”, diz. 

Estiagem

Chuvas. O período de estiagem e a falta de água devem começar em agosto e podem durar até outubro. A seca que assola o Norte desde 2012 é considerada a pior dos últimos 40 anos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave