Mudança viária aumenta medo

Moradores do bairro reclamam que nova circulação atrapalha policiamento; PM não deu dados

iG Minas Gerais | Cinthia Ramalho |

Pampulha. Lojistas do bairro Ouro Preto reclamam que houve queda nas vendas após mudanças no trânsito feitas pela BHTrans
Reproducao: Google Street View
Pampulha. Lojistas do bairro Ouro Preto reclamam que houve queda nas vendas após mudanças no trânsito feitas pela BHTrans

Moradores e comerciantes do bairro Ouro Preto, na região da Pampulha, em Belo Horizonte, afirmam que a mudança do trânsito realizada pela Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) na região – que transformou em mão única vias que eram mão dupla – dificultam o trabalho da Polícia Militar (PM). Após a modificação na circulação, a corporação demora mais para fazer as rondas no bairro e para atender chamados da população local, segundo moradores e lojistas. Preocupados com a falta de segurança, eles relatam crescente onda de assaltos à mão armada, roubo de carros e assaltos a residências na região, a qualquer hora do dia.

Gerente de um posto de gasolina na rua Sena Madureira, Renilton Ribeiro, 50, relata que o estabelecimento foi assaltado 20 vezes em 2013 e mais de 200 em 15 anos. Segundo ele, os bandidos chegam armados, rendem funcionários e clientes, e roubam veículos e quantias de dinheiro. “Depois que a BHTrans fez alterações no trânsito, as viaturas da PM demoram muito para chegar ao bairro, porque têm que fazer um retorno para chegar à região. Isso facilita a ação dos criminosos. Não sabemos mais o que fazer. Todo mundo tem medo”, afirma. Comerciantes alegam que a implantação das mudanças também prejudicou as vendas na região. Morador do bairro há mais de 20 anos, o representante comercial Jarbas Tavares, 55, conta que o medo tomou conta da vizinhança. Tanto ele quanto a mulher e a filha evitam sair de casa em determinados horários, com receio de assaltos. “Se já escureceu, evito até ir à padaria, a duas ruas da minha casa. Se vejo algo estranho, aciono a PM, mas nem sempre sou atendido”, revela. Tavares afirma que teve quatro veículos e uma moto roubados na porta de casa no três últimos anos. “Temos aproximadamente cem ocorrências por mês no bairro e apenas 120 policias em ação. Precisaríamos de, no mínimo, o dobro de homens para garantir a segurança para os moradores”, afirma Márcio Saldanha, 55, presidente da Associação Comunitária do Bairro Ouro Preto (Ascobop). Resposta. A assessoria de imprensa da BHTrans afirmou que não recebeu reclamação oficial da PM sobre as dificuldades de fazer a ronda no local. As alterações no trânsito objetivam aumentar a segurança para pedestres e melhorar a circulação e a fluidez do tráfego na região, alegou a autarquia. Ainda de acordo com a BHTrans, as mudanças foram discutidas em reuniões com os moradores e comerciantes da região.

Corporação

Dados. A Polícia Militar informou que, até o fechamento desta edição, não foi possível levantar o número oficial de ocorrências atendidas diariamente no bairro Ouro Preto, na Pampulha.

Um caso À luz do dia. Ilmar Mendes, 49 anos, é representante comercial e mora no bairro Ouro Preto há 15 anos. Há três meses, ele foi mantido refém por dois assaltantes que entraram em uma loja de roupas no bairro e levaram uma grande quantia em dinheiro, além de objetos como celulares e relógios, de clientes e funcionários. O assalto aconteceu em um sábado, por volta das 12h. Seis carros. Além disso, o morador relata que, entre 2005 e 2011, já perdeu seis carros em assaltos registrados próximos à sua residência. “Tudo acontece muito rápido. Mesmo com policiamento no bairro, os criminosos continuam agindo”, explica.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave