Qual o devido tempo de resolver conflitos?

iG Minas Gerais |

Cada pessoa que vive hoje na Terra está sujeita a ter problemas. Somente depois da morte não teremos mais problemas, mas, enquanto o nosso coração pulsar, sempre teremos que enfrentá-los. Os conflitos estão em toda parte, seja no trabalho, com os amigos, no casamento, na solteirice, em nós mesmos. Sabemos que os conflitos existem e temos aprendido que o tempo não os resolve. Muitos acreditam que dar tempo pode solucionar os problemas, mas isso não se confirma na prática. Se pegarmos uma xícara de café suja e a guardarmos num armário sem lavar, pode passar anos que ela não ficará limpa. Na verdade, pode ficar ainda mais suja pelo acúmulo de mofo, poeira e outras impurezas. Quando uma pessoa diz que vai dar um tempo para determinada situação, ela está dizendo, em outras palavras, que não quer resolver. Muitos dizem que a última gota d’água é que faz o copo entornar, mas o que faz o copo entornar é a primeira gota. Depois da primeira gota, vieram milhares de outras gotas, e a última é que faz o copo entornar? Não. Se não tivesse a primeira, as outras não viriam. Da mesma forma acontece com os problemas, os conflitos que vivenciamos dia após dia. Não adianta dar tempo ao tempo, uma situação puxa outra, porque ninguém está livre de ter problemas. Eles podem acontecer a qualquer momento, quando saímos de casa pela manhã no nosso carro, ao virar a esquina, outro carro pode vir e nos “fechar” causando um acidente, conflitos. É inevitável; os problemas podem vir a qualquer hora, em qualquer lugar. Os conflitos brotam, eles sempre surgem. Então, o que precisamos pensar é na melhor maneira de resolvê-los. E já vimos que não é dando tempo. O tempo, muitas vezes, faz endurecer o coração, fazendo com que as pessoas vivam numa situação complicada. Deus nos enviou Jesus para que fôssemos livres. Ele levou sobre si todo peso, não temos que viver debaixo do peso dos problemas, é preciso resolvê-los. Quando é melhor resolver conflitos? O mais rápido possível. Quanto mais no início melhor. Não deixe para depois. O perigo está em não resolver logo no início, pois os conflitos nascem pequenos, mas, com o tempo, vão se tornando grandes. É como um câncer. Os médicos dizem que, normalmente, a grande maioria dos cânceres tem cura quando descobertos e tratados no início. Mas quando já está em estágio avançado a cura fica mais difícil. Os conflitos devem ser solucionados logo que surgem, mas muitos não gostam de ser confrontados, então, é mais cômodo deixar para resolver depois. As pessoas se calam, se fecham, o que impede que haja confrontação. O confronto é importante para que possamos abrir o coração e dizer: “Precisamos resolver esse problema”. Mas, quando deixamos de resolver, o problema tende a tomar proporções inimagináveis, tornado-se uma “bomba-relógio”, que pode explodir a qualquer momento, seja no casamento, na empresa, na vida, no próprio ministério. Vivemos em comunidade, nos relacionamos uns com os outros e por isso é comum experimentarmos conflitos, pois cada pessoa pode ter atitudes diferentes, o que provoca constantes mudanças no nosso meio, e as mudanças podem gerar conflitos. Mas é preciso resolvê-los. Enquanto vivermos teremos problemas que de alguma forma vão gerar conflitos. E eles não vão se resolver sozinhos. Precisamos resolvê-los, pois o tempo vai apenas complicá-los ainda mais. E a Bíblia é o nosso manual para resolvermos problemas. Os conflitos são frutos da carnalidade, do pecado, mas a Palavra de Deus nos mostra os caminhos para resolvermos. Deus os abençoe!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave