Conectados pela cultura

14ª edição do festival começa nesta terça com 130 atrações do Brasil e exterior e pretende expor artistas mineiros para fora

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

De peso. Apesar de investir em novos talentos mineiros, Tulipa Ruiz, Otto e o DJ francês Joris Delacroix são as atrações de peso do Conexão BH e vão se apresentar em locais alternativos da cidade
Rodrigo Schmidt
De peso. Apesar de investir em novos talentos mineiros, Tulipa Ruiz, Otto e o DJ francês Joris Delacroix são as atrações de peso do Conexão BH e vão se apresentar em locais alternativos da cidade

Os estrangeiros que transitam com camisas estilizadas pela capital mineira acabaram de ganhar mais um motivo, além da Copa do Mundo, para interagir com a cultura das montanhas. A partir desta terça, a 14ª edição do Festival Conexão BH aproveita o clima da maior competição do mundo para trazer mais de 130 atrações musicais à cidade, sendo pelo menos 90 de Minas Gerais. Além de nomes conhecidos como Tulipa Ruiz, Otto e BNegão, o festival apresenta artistas de países como França e Colômbia, além de mostras fotográficas e performances durante quase um mês. Com o tema “Cidade da Música, Cidade do Mundo”, o Conexão BH espera receber 200 mil pessoas até dia 17 de julho, em seis espaços diferentes: Mercado do Cruzeiro, Mercado das Borboletas, Sesc Palladium, Casa do Jornalista, Estação do BRT Move São Gabriel e o Parque Municipal. No parque, tradicional reduto do festival, serão montados dois palcos principais – o primeiro com 12 metros de comprimento, e o segundo, com 8 metros de extensão, além do Espaço Lab, para apresentação de DJs, seminários, mostra de vídeos e fotografias, e o Corredor Cultural, onde haverá mostras de grafite feitas durante toda a programação do Conexão BH. Apesar disso, as primeiras apresentações do festival acontecem em um lugar inédito: a Estação BRT Move São Gabriel vai abrigar a abertura do Conexão BH, a partir das 11h, com show do rapper mineiro Well MC, revelação do Duelo de MCs, que apresenta agora seu trabalho autoral. “Eu estive no Duelo de MCs desde 2010, agora decidi apresentar um conjunto de 11 músicas que surgiram nessa caminhada e que vão virar um EP em breve”, diz Well. Após o show, a artista belo-horizontina Luciana Cezário ainda apresenta sua performance “Série Banquete – Proibidas de Ser”. Segundo Kuru Lima, organizador do Conexão BH, neste ano o evento tentou concentrar o maior número de artistas mineiros para atrair a atenção dos cerca de 160 mil estrangeiros que vão passar por Belo Horizonte até o fim da Copa do Mundo, de acordo com a Belotur. “A ideia é apresentar um panorama da cultura mineira atual. Quase 80% dos artistas nunca tocaram no evento, será a primeira vez para eles. Dessa forma, a gente pode atrair o olhar de estrangeiros para o trabalho feito em Minas”, avalia. Por isso, o festival vai reunir, além de veteranos como Dibigode, Falcatrua, Kadu dos Anjos, Tom Nascimento e Cabezas Flutuantes. nomes menos conhecidos. Victor Magalhães, trompetista da banda Iconili, que sob ao palco do Mercado das Borboletas no próximo dia 27 para mostrar as canções do seu primeiro disco autoral, “Trago o Seu Amor” (2014), é um deles. Assim como Victor, a cantora Priscila Magela, que cantou com Markus Ribas e abriu o show de Oswaldo Montenegro, mostra no Mercado Distrital do Cruzeiro, no próximo dia 25, as 13 canções autorais do seu primeiro disco, “A Barranqueira” (2013). “É a chance que eu tenho de mostrar meu trabalho todo inspirado no Norte de Minas. Cantar em um cenário amplo, com circulação de gente importante da cena cultural mineira e nacional, além dos estrangeiros”, avalia a artista mineira, que compõe desde os 13 anos de idade. INTERNACIONAL. Em uma interação musical dominada por sul-americanos, artistas da Colômbia, Panamá, Uruguai e Chile devem desembarcar na capital mineira a partir desta terça para tocar no Conexão BH. Entre os estrangeiros de outras partes do mundo, a banda argelina El Dey mostra, com seus oito integrantes, uma mistura de flamenco e tambores africanos, a partir das 19h, no Mercado Distrital do Cruzeiro. “Acho o som africano parecido com batidas brasileiras. Conheci a música do Gilberto Gil há um tempo, gostei bastante. Essa troca musical é uma das melhores coisas que podemos ter na carreira, e Belo Horizonte está nos propiciando isso num momento muito legal”, disse o vocalista do El Day, Bouafia Mounir. Além deles, os consagrados DJs franceses Joris Delacroix e Agoria dominam as pick-ups do Mercado das Borboletas neste sábado, dia 21, a partir das 19h, para mostrar o resgate das pistas dos anos 90. “São caras que vieram da mesma nata do Daft Punk, com uma pegada retrô interessante que tem pegado nas pistas da Europa. Vai valer muito a pena”, diz Kuru Lima.

Programação

Atrações. BNegão e Tulipa Ruiz cantam no Mercado das Borboletas (em 27 de junho e 5 de julho, respectivamente). Otto se apresenta no Parque Municipal (3 de julho). Todos os horários ainda serão definidos. Veja os shows desta semana: 17/06 (nesta terça) Estação São Gabriel MC Well (MG) Mercado do Cruzeiro El Dey (Argélia) Dj Carou Araújo (MG) 18/06 (quinta-feira) Mercado do Cruzeiro Leo Eymard Trio (BH) 20/06 (sexta-feira) Casa do Jornalista The Hells Project (MG) 21/06 (sábado) Mercado das Borboletas 7 Estrelo (MG) DJ Agoria (França) DJ Delacroix (França) DJ Alvinho Little Noise (MG) Nsista (MG) DJ Ed, Zeu e Lucas (MG) Baque de Minas (MG) Mandruvá (MG) Tião Duá (MG)

Ingressos

Preço. Entrada gratuita para os eventos na Casa do Jornalista, BRT-MOVE e Mercado do Cruzeiro, mediante retirada dos ingressos no site autorizado www.sympla.com.br/conexao. Já para as atrações no Parque Municipal e Sesc Palladium, elas custam entre R$ 10 e R$ 40.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave