Boato assusta comerciantes

iG Minas Gerais | bruna carmona |

O boato sobre uma possível quebradeira marcada para hoje, durante o jogo entre Bélgica e Argélia, às 13h, em Belo Horizonte, preocupou comerciantes que trabalham na avenida Portugal, no bairro Santa Amélia, na Pampulha.  

“Não vamos abrir o comércio e reforçamos a segurança, soldando a trava nos portões da frente. Também vamos colocar os carros que estão aqui em outro galpão”, afirmou o gerente comercial da oficina Teccar, Nildo Ribeiro.

Segundo ele, esse rumor começou a circular na semana passada e, com medo, alguns empresários da região decidiram não abrir as portas. Segundo Ribeiro, pelo menos três lojas vizinhas à Teccar suspenderam o expediente e outras optaram por contratar mais seguranças.

Na revendedora de pneus Recaminas, que também fica na avenida Portugal, a jornada de trabalho será encerrada às 12h e não mais às 14h30. Conforme a vendedora Elisângela Guimarães, a decisão foi tomada ontem levando em conta essa “ameaça”. Segundo ela, apesar de a história não ter sido confirmada, a parte da loja que é coberta com vidraças está sendo protegida contra possíveis atos de vandalismo.

“No último jogo (do Brasil) não teve quebradeira, mas nós tivemos uma tentativa de assalto porque ficou tudo muito ermo”, contou Elisângela. Isso também contribuiu para a redução do expediente, conforme a vendedora.

Procurada, a Polícia Militar (PM) informou desconhecer a história. Segundo a tenente Bruna Hortenzio, do 49º Batalhão, o policiamento em toda a área pela qual a unidade é responsável será reforçado hoje, principalmente na Pampulha, com efetivo do próprio 49º. Ainda de acordo com a tenente, o serviço de inteligência da PM vai verificar todas as denúncias e, caso necessário, pode haver reforço de outra unidade da corporação. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave