Suspeitos de explodir caixa em Frutal tem prisão preventiva decretada

A pena para o crime de furto qualificado tentado, pode chegar a oito anos. Já a associação criminosa tem pena que vai de 1 a 3 anos de prisão.

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

O Ministério Público Federal (MPF) divulgou nesta segunda-feira (16) que a Justiça Federal de Uberaba, no Triângulo Mineiro, decretou a prisão preventiva de cinco suspeitos da explosão de um caixa eletrônico em Frutal, na mesma região, no último dia 7 de maio. Warlon Thierri de Souza Pinto, Rafael Silva de Lima, Luiz Eduardo de Freitas Oliveira, Hebert Nascimento Barbosa e Jonathan da Silva Oliveira, já estavam presos em flagrante desde o mês passado.

O intuito do decreto é garantir que os suspeitos fiquem presos até o fim da instrução criminal para não cometerem novos crimes. Eles são acusados de tentativa de furto qualificado. No último dia 7 de maio, os cinco suspeitos e um adolescente foram até uma agência da Caixa Econômica Federal de Frutal e colocaram uma bomba em um dos caixas que explodiu, mas não destruiu a chapa do terminal.

Os suspeitos não conseguiram retirar o dinheiro, fugiram e se esconderam na casa de outro adolescente na cidade. O carro utilizado na fuga foi filmado pelas câmeras de segurança de um estabelecimento próximo a agência, possibilitando os militares a encontrarem o veículo. Em depoimento, os acusados confessaram o crime.

Na denúncia feita pelo MPF consta que todos os suspeitos já tem passagens pela polícia por furto as agências bancárias. A pena para o crime de furto qualificado tentado, pode chegar a oito anos.  Já a associação criminosa tem pena que vai de 1 a 3 anos de prisão. 

Com assessoria de imprensa do MPF

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave