Descuido pode manchar as boas lembranças

“Perdemos uma grande chance de deixar nossa cidade mais bela para os turistas que vão vir para a Copa do Mundo. A maioria dos torcedores de fora que vier a Belo Horizonte não vai querer voltar.” - Felipe Alves, estudante

iG Minas Gerais |

Exemplo. Mercado Central se preparou para receber o turista estrangeiro. Além da decoração e da cordialidade, já tradicionais, o local instalou terminais para tradução em diversos idiomas
Lincon Zarbietti / O Tempo
Exemplo. Mercado Central se preparou para receber o turista estrangeiro. Além da decoração e da cordialidade, já tradicionais, o local instalou terminais para tradução em diversos idiomas

Se o cheiro é um dos fatores que ativam a memória, os turistas estrangeiros terão motivos para lembrar da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. Às vésperas do primeiro jogo da Copa, o odor de esgoto continua forte no entorno do principal ponto turístico da cidade. Além da Pampulha, O TEMPO percorreu o Mercado Central e a Praça do Papa, para saber como estão as outras atrações da cidade. 

Na Lagoa, um dos pontos mais críticos é justamente onde será o desembarque dos ônibus do Terminal Copa, no encontro das avenidas Otacílio Negrão de Lima e Fleming. Com um baixo volume de água, em função do tratamento para despoluição que não terminou antes da Copa, o odor ficou mais forte e o lodo tirou a transparência da água.

Para a estudante Rafaela Couto, 18, a capital mineira perdeu a chance de deixar a boa impressão nos estrangeiros. “Se a lagoa já estivesse despoluída, com certeza essa vista conquistaria o turista e aumentaria as chances de um retorno a Belo Horizonte com os amigos”, lamenta.

Outro ponto turístico de Belo Horizonte, a Praça do Papa, na região Centro-Sul, também deixa a desejar. Pichações e sujeira contrastam com a bela vista da cidade. O colombiano Rodrigo Diez, veio acompanhar o primeiro jogo de sua seleção na Copa, que enfrenta, no sábado, a Grécia, no Mineirão. Ele aproveitou para conhecer o local e disse que esperava mais. “É muito bonito, a vista da cidade e da serra do Curral encantam, mas poderia estar mais bem cuidada, principalmente com o volume de turistas que receberá na Copa”, disse.

Já no Mercado Central os estrangeiros não têm motivos para reclamar. O local concentra praticamente todos os produtos típicos do Estado e está muito bem preparado para recepcionar o estrangeiro. Todas as placas estão traduzidas em inglês e espanhol. Os comerciantes se preparam para saber apresentar preços e produtos em inglês.

Para as línguas mais exóticas, há terminais com computadores que traduzem palavras da língua de escolha do turista para o português.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave