Paulo Bento: "Ter o melhor do mundo não nos obriga a levar a Copa"

Treinador de Portugal admite que equipe não está entre as favoritas para levar o Mundial no Brasil

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

ALEX DE JESUS/O TEMPO
undefined

Salvador (BA). O quanto é vantajoso ter o melhor do jogador mundo em seu time? Como suportar uma pressão de poder perdê-lo e ver seu time ficar sem esta figura tão fundamental para a equipe? Cristiano Ronaldo foi a principal pauta das perguntas direcionadas ao técnico Paulo Bento nas prévias do jogo de estreia de Portugal na Copa do Mundo, no duelo desta segunda-feira contra a Alemanha.

O fato já devia ser esperado pelo treinador, claro. E as respostas foram fluindo, deixando claro que CR7 é peça chave para os lusos, mas tê-lo na equipe não significa ser a principal equipe da competição. Pelo contrário; os portugueses estão cientes que não estão entre favoritos ao título e isto é encarado como forma positiva por eles. Isto lhes dá mais leveza para atuar e colocar em prática planos a conta-gotas; um objetivo de cada vez. E o técnico Paulo Bento já tem o primeiro: chegar às oitavas de final.

“A vantagem de ter um jogador como ele é grande, pois é um atleta muito influente na nossa forma de jogar, e também porque atingiu uma projeção que é mundial”, disse Paulo Bento.

“Mas, por termos o melhor jogador do mundo, não temos de ser campeões. A pressão que nos pusemos a nós próprios já nos chega. Temos de chegar às oitavas de final e depois disso competir. Não temos a obrigação de sermos campeões do mundo por termos o melhor do mundo”, completou o treinador.

E uma provável ausência do craque não seria um pesadelo completo, algo incapaz de ser transposto. Diante da hipotética realidade de não ter Ronaldo, Paulo Bento mostra calma e aproveita a deixa para elogiar a sua equipe e, porque não, puxar um pouco de responsabilidade para o seu lado.

“Quando ele não puder estar presente é para isso que está aqui o treinador; para encontrar soluções, tentando modificar a equipe o tanto for necessário”, comentou o treinador de Portugal.

“Quando se tem o melhor jogador do mundo, faremos como faz o Real Madrid e fez o Manchester United: vamos aproveitá-lo até o limite”, finalizou.