Redes são mais usadas para denegrir

iG Minas Gerais |

O cientista político da Universidade Federal de Minas (UFMG) Bruno Reis acredita que a internet e as redes sociais sejam usadas muito mais para denegrir a imagem dos candidatos do que para exaltar as suas qualidades. “A internet é como um paraíso para a campanha negativa contra os candidatos, um ambiente ideal para a proliferação de boatos. Uma terra de ninguém, onde calúnias e mentiras podem ganhar grande visibilidade”, analisa.

“Como alguns ambientes de internet são privados, como o Facebook e o Twitter, fica difícil para a Justiça Eleitoral criminalizar pessoas que cometeram os delitos, e é quase impossível descobrir quem está financiando essas páginas”, disse o especialista.

Direito de resposta. Bruno Reis destaca que “quando alguma calúnia ou difamação é divulgada no programa obrigatório eleitoral, o candidato abre espaço para o direito de resposta do adversário, o que não acontece na rede mundial de computadores”. (FC)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave