Hermanos e brasileiros assistem estreia da Argentina na zona sul de BH

Entre argentinos e torcedores locais, grupo lamentou 'retranca' do time no primeiro tempo, mas saiu feliz com vitória por 2 a 1 sobre a Bósnia

iG Minas Gerais | DANIEL OLIVEIRA |

A noite prometia uma festa quase holandesa para os cerca de 250 argentinos que lotaram o Pizza Sur, na zona sul, de Belo Horizonte para acompanhar a estreia do país na Copa do Mundo. Quando o placar foi aberto, com o gol contra da Bósnia aos 3 min, a goleada parecia quase inevitável. Mas o tango dos argentinos teve toda emoção pela qual os hermanos são conhecidos.

“Jogamos muito mal” criticou no fim do primeiro tempo o empresário Raúl Tignata, que mora em BH há nove anos. Para ele, o futebol na sua etapa inicial foi o resultado de um antigo defeito argentino. “Fizemos um gol e retrancamos”, suspira.

Mas mesmo quando o jogo parecia complicado, a tensão no ar era quebrada pelos gritos dos torcedores mais apaixonados. Entre os que não duvidaram em nenhum momento estava Santiago Halty. O administrador portenho, de 30 anos, mora na Califórnia, mas veio conferir a Copa do Mundo no Brasil. Ele assiste à partida contra o Irã, na capital mineira, e já comprou o ingresso para as oitavas de final em São Paulo, confiando que a Argentina se classificará em primeiro no grupo.

“São jogadores jovens, ficaram muito nervosos. Faltou toque de bola”, explicou sobre a má atuação, acrescentando que Brasil e Espanha tiveram o mesmo problema na estreia.

Mas nem só de argentinos fora feita a torcida do Pizza Sur. Os gritos mais apaixonados vinham de alguns brasileiros, como a assistente social Juliane Silva, 28. Torcedora do Galo e apaixonada por futebol, ela diz não ter nada contra a seleção brasileira. “Mas o jeito de jogar argentino é muito mais emocionante”, afirma. Ela chorou quando o Maradona foi barrado no Mundial de 1994 e torce para os hermanos nos clássicos contra o Brasil. No final, Juliane só não comemorou mais devido ao gol perdido por Messi nos minutos finais e porque a Bósnia estragou sua vitória no bolão. “Apostei dois a zero”, lamentou.

Leia tudo sobre: argentinosbrasileirosargentinaestreiabósniazona sulcapitalbelo horizontejogo