Argentina conta com "ajuda" do rival e bate Bósnia na estreia da Copa

Equipe sul-americana não fez uma grande exibição, mas jogou o suficiente para largar na frente; Ibisevic anotou o primeiro gol a favor da Bósnia na história da competição

iG Minas Gerais | FABIANO FONSECA |

Argentina's Lionel Messi celebrates scoring his side's second goal during the group F World Cup soccer match between Argentina and Bosnia at the Maracana Stadium in Rio de Janeiro, Brazil, Sunday, June 15, 2014. (AP Photo/Victor R. Caivano)
Argentina's Lionel Messi celebrates scoring his side's second goal during the group F World Cup soccer match between Argentina and Bosnia at the Maracana Stadium in Rio de Janeiro, Brazil, Sunday, June 15, 2014. (AP Photo/Victor R. Caivano)

Não foi com todo o brilho que se esperava de uma seleção que conta com Lionel Messi, mas a Argentina estreou com vitória na Copa do Mundo. Neste domingo, no Maracanã, os hermanos venceram a Bósnia, estreante em Mundiais, por 2 a 1, em jogo válido pelo grupo F. Se não foi com uma goleada, a vitória argentina foi coroada com um golaço do camisa 10, mostrando que ele tem tudo para ser um dos craques do Mundial. A partida começou com uma sonora vaia brasileira aos rivais argentinos. Apesar de a torcida hermana ter invadido o Maracanã, o torcedor brasileiro que foi ao estádio claramente demonstrou seu apoio à Bósnia. Mas logo aos 2 min, a festa foi da Argentina. Após cobrança de falta de Messi, Kolasinac não conseguiu cortar o cruzamento e mandou contra as próprias redes, abrindo o placar para a seleção portenha. Depois do gol, a Argentina seguiu dominando o meio, mas não criava boas oportunidades. Bem marcado, Messi pouco ameaçava a defesa adversária. Aos 12 min, a Bósnia quase marcou. Misimovic fez belo lançamento para Hajrovic, que saiu na cara de Romero, mas o goleiro argentino impediu o empate. Após o susto, a Argentina retomou as rédeas da partida e pressionou a Bósnia. A perigosa linha de frente hermana, formada por Agüero, Messi e Di María, tocava a bola com velocidade, buscando uma brecha na defesa rival. Entre algumas investidas da Bósnia e o domínio pouco objetivo da Argentina, o primeiro tempo foi caminhando sem muitas emoções para ambos os lados. Somente aos 40 min, após cobrança de escanteio, Lulic cabeceou forte e obrigou Romero a fazer grande defesa, novamente impedindo o empate bósnio. Na volta do intervalo, o técnico Alejandro Sabella promoveu duas mudanças na Argentina, com as entradas de Fernando Gago e Higuaín nos lugares de Campagnaro e Maxi Rodriguez, respectivamente. Nos primeiros minutos  da segunda etapa, a Bósnia até que se arriscava mais ao ataque, mas sem grandes sustos para a defesa argentina. No lado hermano, porém, faltava inspiração e aproximação entre Messi, Agüero, Di María e Higuaín. Visivelmente sem estar em suas totais condições, o camisa 10 argentino até que tentava criar, mas esbarrava também na falta de um companheiro em sintonia. Porém, aos 19 min, apareceu a genialidade de Messi. Em uma rápida tabela com Higuaín, o astro do Barcelona dominou, driblou um adversário e, na entrada da área, chutou rasteiro, colocado. A bola ainda bateu na trave e foi morrer no fundo da rede: 2 a 0 com a marca do craque, que vibrou muito seu primeiro gol no Mundial. O golaço despertou a torcida e o time argentino, que dominou completamente o adversário e passou a pressionar intensamente. Virou jogo de um time só. Entregue, a Bósnia tentava somente se defender e mal arriscava uma saída para o ataque. Mas, aos 38 min, Ibisevic saiu do banco de reservas para entrar para a história da Bósnia. O atacante recebeu passe nas costas da defesa argentina e tocou por debaixo das pernas de Romero, anotando o primeiro gol do país em uma Copa do Mundo.

Leia tudo sobre: copa do mundoArgentinaargentinavitoriaBosniaestreia