Técnico luso reclama do horário da estreia: “Prejudicial para todos"

Paulo Bento ressalta que o alto calor não é bom para as principais peças da partida: os jogadores

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

ALEX DE JESUS/O TEMPO
undefined

Salvador (BA). O pontapé inicial para a Copa do Mundo no Brasil já foi dado, mas um assunto ainda não saiu de pauta nas entrevistas em solo canarinho: o calor brasileiro, principalmente – claro – nas partidas a serem disputadas às 13h em lugares mais quentes como é o caso de Salvador.

O último a levantar a questão foi o treinador de Portugal, Paulo Bento, que verá seus jogadores estreando na Arena Fonte Nova diante da Alemanha, nesta segunda-feira. De acordo com o site WeatherSpark, os termômetros da capital baiana marcarão 26,5 ºC no momento do começo da partida e estará nublado.

Para exemplificar o seu descontentamento, o comandante português lembrou-se do Mundial dos Estados Unidos, o mais quente da história, que chegou a ter partidas disputadas sob um forte calor, que chegava aos 40 ºC. 

“Fazer jogo a 1h é um prejuízo. Isto poderia ter sido aprendido na Copa dos Estados Unidos. É prejudicial para todo mundo. Tem de ver que o mais importante no futebol são os jogadores e eles sofrem muito com isto”, afirmou Paulo Bento.

Ao ser questionado sobre a possível falha do plano de viagem de Portugal, Paulo Bento foi direto, deixando claro que tudo o que foi traçado foi correto na sua visão.

“Traçamos um plano em três etapas: primeiro em nosso país com um amistoso lá; depois passagem pelos EUA com dois jogos e depois chegar ao Brasil até a data obrigatória. Não acredito que isto seja prejuízo”, comentou.

A seleção portuguesa foi a última das 32 participantes do Mundial a chegar no Brasil.