Revista falha de novo, e marfinenses levam instrumentos a estádio

Primeiro incidente havia acontecido no jogo do Chile, quando torcedor teve acesso ao estádio portando fogos de artifício

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

O COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014) admitiu neste domingo (15) uma nova falha de segurança na revista dos torcedores na entrada de estádios do Mundial. Torcedores da Costa do Marfim conseguiram entrar na Arena Pernambuco para acompanhar a partida contra o Japão, na noite de sábado (14), portando instrumentos musicais. Os africanos passaram boa parte do jogo fazendo música nas arquibancadas em apoio à seleção de Drogba e Yaya Touré, que derrotou os asiáticos de virada por 2 a 1. "Se apareceram, foi uma falha nossa. Temos que atacar melhor essa questão da revista. Esse processo será reforçado", afirmou o diretor de comunicação do COL, Saint-Clair Milesi. Após a polêmica vuvuzela no Mundial passado, a Fifa decidiu proibir qualquer instrumento musical nos estádios desta Copa, inclusive a poderosa corneta sul-africana. A entrada de artigos proibidos tem sido uma das principais falhas de organização do torneio no Brasil. Na sexta (13), pelo menos um torcedor do Chile conseguiu entrar na Arena Pantanal, em Cuiabá, com fogos de artifício. Ao menos um rojão foi estourado durante o confronto dos sul-americanos com a Austrália. Houve falha na revista também na Arena Amazônia. Uma faixa com a frase "Venezuela dictadura" foi exibida no estádio durante a partida entre Inglaterra e Itália, no sábado, contrariando o regulamento da Fifa, que proíbe qualquer tipo de manifestação política na Copa.