Presidente do PT-SP critica FHC e diz que não há tsunami, mas vozes do

De acordo com o petista, no Brasil não há tsunami, mas vozes do passado que atacam em tom agressivo os avanços dos últimos anos no país

iG Minas Gerais | Da Redação |

O presidente do PT em São Paulo, Emídio de Souza, rebateu neste domingo (15) as críticas feitas no sábado ao partido pelo pré-candidato do PSDB à sucessão presidencial, Aécio Neves.

De acordo com o petista, no Brasil não há tsunami, mas vozes do passado que atacam em tom agressivo os avanços dos últimos anos no país.

No sábado (14), na Convenção Nacional do PSDB, o presidenciável tucano disse que um tsunami varrerá o PT do país. Aécio disse que a gestão petista não tem se mostrado "digna" de atender às demandas da sociedade.

"Primeiro, que no Brasil não tem tsunami, mas vozes do atraso em tom agressivo que nunca teve projeto no Brasil. Falam para atacar e pegam carona na mal criação", criticou.

"Quando ele falou em tsunami, foi traído por sua própria ira, de não entender a eleição da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Eles acham que vão derrotar o PT com ataques", acrescentou Souza.

Na Convenção Estadual do PT, que sacramentou o nome de Alexandre Padilha como candidato ao governo paulista, o dirigente estadual também criticou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que, segundo Souza, manteve a "estagnação econômica" e o "desemprego".

"Quem chefiou o palanque dele foi o ex-presidente que manteve a estagnação econômica e o desemprego. O candidato deles não serve para outra coisa a não ser destilar o ódio contra nosso partido", criticou.

O dirigente estadual do PT também estimulou a militância a responder às ofensas contra a presidente Dilma ocorridas na abertura da Copa do Mundo, na quinta-feira (12).

"Muitos dos que vaiaram foram aqueles que nunca andaram de metrô em São Paulo, talvez só em Paris, Londres ou Nova York", criticou.

Leia tudo sobre: ptfhc