Preto e branco da camisa do Galo se destaca nas multicoloridas ruas de

Bernardo Edmar, manauara de 59 anos, começou a torcer para o Atlético na 'era Reinaldo'

iG Minas Gerais | Guilherme Guimarães / Leandro Cabido |

Senhor Bernardo Edmar, 59, torcedor do Galo em Manaus
Senhor Bernardo Edmar, 59, torcedor do Galo em Manaus

Ruas tomadas por torcedores que se vestiam com camisas de diversos tons. Um colorido diferente em cada esquina de Manaus, uma das sedes da Copa do Mundo de 2014. Amarelo, Vermelho, azul, branco, verde, cores específicas de colombianos, italianos, americanos e, principalmente, ingleses, que dominaram o território manauara no último sábado.

Entretanto, no dia em que a Itália venceu a Inglaterra por 2 a 1, na Arena Amazônia, uma camisa listrada de preto e branco chamou a atenção no meio de um emaranhado de cores: era um atleticano vestindo o manto do Galo.

“A festa em Manaus está muito bonita, uma mistura de etnias, de culturas. Isso é importante. É Copa do Mundo, e como não poderia ser diferente eu estou vestindo o manto do Galo. Sou atleticano desde os tempos de Reinaldo. Ele que me fez torcer para o Atlético”, disse todo eufórico o senhor Bernardo Edmar, 59.

Funcionário público, Bernardo é manauara e não deixa de acompanhar, mesmo com toda a distância, o clube do seu coração.

“É diferente ser atleticano. Não importa distância, não importa nada. Ninguém vira atleticano, nasce”, comentou, não se esquecendo de falar de outro ídolo.

“Ronaldinho Gaúcho para mim é um ídolo, jogador fantástico. É especial tê-lo como jogador do time do coração. Só quem é atleticano compreende essa grandeza”, finalizou.

Leia tudo sobre: copa do mundogaloatlético