Chineses falsificam atestados médicos para ver jogos da Copa

A busca foi tão grande que várias lojas online foram bloqueadas pelas autoridades. Segundo a imprensa chinesa, os atestados estavam disponíveis em mais de dez sítios, com preços em torno de 200 yuans (R$ 32)

iG Minas Gerais | Folhapress |

Nas últimas semanas, um dos produtos mais procurados no site chinês de vendas online Taobao tem sido os atestados médicos. O motivo não é uma epidemia em escala nacional, mas a febre da Copa do Mundo. Só que a maioria dos atestados é falsa. Para poder assistir aos jogos do Mundial, que serão no meio da madrugada pelo horário chinês, milhares de torcedores têm comprado os atestados para não ter que ir ao trabalho, depois de passar as noites em claro. A busca foi tão grande que várias lojas online foram bloqueadas pelas autoridades. Segundo a imprensa chinesa, os atestados estavam disponíveis em mais de dez sítios, com preços em torno de 200 yuans (R$ 32). Os vendedores dizem ter contatos em hospitais, pedem informações básicas do cliente e emitem atestados de acordo com o gosto de cada um, incluindo o tipo de doença desejado e quantos dias ele quer ficar em casa. Com uma diferença de onze horas no fuso em relação ao Brasil, os fãs de futebol na China terão um mês duro pela frente. "A torcida chinesa é a mais sofrida do mundo", diz em bom português o jornalista Li Hailong, especialista em futebol brasileiro e autor de uma recém-lançada biografia do Kaká. "Além do baixo nível do futebol local, tem que passar as noites em claro para acompanhar o futebol internacional". O fuso terá forte impacto na audiência da Copa. Segundo estimativa da consultoria CSM, haverá uma queda de 25% em relação à audiência da Copa de 2010, na África do Sul. No último Mundial, o jogo mais visto atingiu 11,2% do público, o equivalente a 610 milhões de espectadores. A CCTV, a emissora estatal chinesa, transmitirá todos os jogos da Copa ao vivo, e espera seguir o sucesso alcançado com as ligas europeias, que apesar dos horários indigestos conquista audiências respeitáveis.

Leia tudo sobre: copa do mundochina