Atos se consolidam como ‘propaganda’

iG Minas Gerais |

Criado a partir dos protestos de junho de 2013, o movimento Tarifa Zero segue como um dos mais ativos da capital e regularmente promove protestos que fecham o trânsito e resultam em congestionamentos. O grupo é fruto da maior reivindicação do ano passado: transporte público mais barato e de qualidade.

“Nosso saldo é positivo, principalmente pela forma como a gente agiu junto ao Ministério Público”, afirma Marina Costa Val, integrante do Tarifa Zero, referindo-se à auditoria nas contas do transporte coletivo da capital e ao esforço do órgão para evitar reajuste nas passagens.

Ela acredita que, um ano após os primeiros protestos, os atos continuam a surtir efeito sobre o poder público, mesmo que com a participação de menos ativistas e até com menos apoio da população. “Surte efeito porque os protestos não são a nossa única frente de atuação. Eles funcionam em conjunto com ações mais técnicas (como denúncia ao Ministério Público). O protesto também serve como uma divulgação em busca de apoio”. (JHC)

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave