“Esse ritmo acelerado produz muita ansiedade”

Scott Stossel - Editor da revista ‘The Atlantic’, Autor do livro “Minha era de ansiedade: medo, esperança, pavor e a busca por paz de espírito”

iG Minas Gerais |

Scott conta que escrever o livro ajudou a enfrentar o problema da ansiedade
Arquivo pessoal
Scott conta que escrever o livro ajudou a enfrentar o problema da ansiedade

Quando percebeu que precisava de ajuda? Eu tenho predisposição para a ansiedade desde os 2 anos, e desenvolvi ansiedade aguda e fobias quando eu tinha 6 anos. Aos 10, as minhas fobias foram ficando mais graves. A pior crise foi aos 12 anos, quando eu estava na sétima série, e tive um colapso nervoso. Me sentia apavorado e gritava deitado no chão da sala.

Por quais tratamentos você passou e o que está usando atualmente? Eu tentei todos os tipos de coisas diferentes: psicoterapia freudiana tradicional, terapia de família, terapia de grupo, terapia cognitivo-comportamental, hipnose, meditação, acupuntura, terapia de exposição, ioga, e diferentes tipos de remédios, que faço uso até hoje.

Escrever um livro sobre o problema ajudou? Eu sempre me interessei por psicologia e história intelectual, e a ansiedade foi um tema que me permitiu trabalhar em ambas as áreas. Escrever e publicar o livro, e vê-lo tornar um sucesso tem reduzido um pouco o meu nível de ansiedade.

Quais as suas dicas para enfrentar uma crise? Tente concentrar-se na sua respiração, colocando a mão em seu estômago e sentindo-o subir e descer. Lembre-se que a sua ansiedade, mesmo que desagradável, não é perigosa naquele momento, e ela vai passar.

As pessoas são mais ansiosas hoje? Aprendi que em cada época se tem a sensação de ser a mais ansiosa na história. E, atualmente, esse ritmo acelerado de mudanças, transformações sociais e as incertezas econômicas definitivamente produzem muita ansiedade. (LM)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave