‘Saber o que eu tinha mudou tudo’

iG Minas Gerais |

Livre dos remédios há oito anos. “Hoje minha ansiedade é menor do que a de uma pessoa que não é portadora da síndrome”, diz Mineiro
Mariela Guimarães
Livre dos remédios há oito anos. “Hoje minha ansiedade é menor do que a de uma pessoa que não é portadora da síndrome”, diz Mineiro
Portador da síndrome do pânico desde os 14 anos, o escritor e astrônomo amador, Fernando Mineiro, só conseguiu ter o diagnóstico do problema após 35 anos convivendo com os sintomas, quando foi chamado para participar como voluntário, de testes para um novo medicamento. Hoje, aos 67 anos, ele lembra que, quando desenvolveu a doença, “nem a medicina sabia direito do que se tratava” e que, de lá pra cá, muita coisa mudou. “Cheguei a participar da pesquisa durante oito meses como voluntário para um medicamento que hoje nem é mais usado. Tomávamos o remédio e os exames de sangue eram enviados à Suíça para avaliação. Ao todo, foram pesquisadas 15 pessoas. Percebia que alguns melhoravam, outros não, e eu continuava na mesma. Ao final, descobri que fazia parte do grupo que ingeria placebo”, lembra. Apesar de não ter obtido nenhuma melhora durante os estudos, Mineiro diz que seu maior alívio foi ter recebido o diagnóstico correto. “Só de saber o que tinha já mudava tudo. Antes, recebi vários diagnósticos equivocados. Falavam de epilepsia e tumores e eu tomava os remédios errados. Crises aconteciam quase todos os dias, era um sofrimento danado”, conta. Após a pesquisa ele escreveu o livro “Tenho a Síndrome do Pânico, mas Ela Não Me Tem”, que é considerado por muitos como o manual do portador da síndrome do pânico. “Sabendo o que eu tinha comecei a fazer o tratamento e a ajudar mais pessoas. Criei o Grupo de Apoio aos Portadores de Transtorno do Pânico (Grupan) com mais de 5.000 pessoas cadastradas no Brasil e no exterior, e ajudei a criar 28 grupos de apoio no país, mas, infelizmente, grande parte fechou por falta de apoio financeiro”, diz Mineiro, que hoje se trata com a mentalização e exercício de respiração. (LM) Atendimento Serviço. Os encontros presenciais do Grupo de Apoio aos Portadores de Transtorno do Pânico (Grupan) acontecem no segundo sábado de cada mês, às 15h. Saiba mais: www.sospanico.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave