Pimentel vai para o ataque agora com o nome oficializado

Petista não poupou Aécio Neves (PSDB), o antigo aliado

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

Prestigiado. Plenário da Assembleia ficou lotado
Manoel Marques / Divulgacao
Prestigiado. Plenário da Assembleia ficou lotado

Mesmo sem citar diretamente o nome do senador mineiro e presidenciável, Aécio Neves (PSDB), o pré-candidato ao governo de Minas, Fernando Pimentel (PT) – que teve seu nome confirmado ontem durante a convenção estadual do partido – subiu o tom das críticas ao PSDB e ao governo estadual. Diferentemente dos discursos “amenos” em que evitava atacar diretamente Aécio, seu antigo aliado político no Estado, o petista acusou o tucano de “viver fora de Minas” e de acreditar que os votos dos mineiros “têm dono”. Na eleição para prefeito, em 2008, Pimentel e Aécio se aliaram em nome da candidatura de Marcio Lacerda (PSB).

“Os donos de Minas são os mineiros e as mineiras. O voto de Minas não tem dono (porque) aqui não tem rei nem imperador. Os mineiros vão escolher o melhor candidato para o governo do Estado e para a Presidência da República e nós respeitamos a escolha dos mineiros”, declarou, ao discursar no plenário da Assembleia de Minas, palco do ato político que reuniu lideranças de PT, PMDB, PRB e PROS após suas convenções estaduais.

Ao lado dos pré-candidatos a vice, Antônio Andrade, e ao Senado, Josué Gomes – que durante a campanha passará a ser chamado de Josué Alencar, em referência ao pai dele, ex-vice-presidente da República José Alencar –, o petista ainda acusou o governo mineiro de não investir em educação, saúde e segurança.

“Que gestão é essa que quando você pede segurança, o que assistimos é a Polícia Militar ser humilhada nas ruas por um bando de desordeiros? Não falta polícia, falta comando”, afirmou, em referência aos casos de vandalismo ocorridos em Belo Horizonte durante a estreia da Copa do Mundo, na última quinta-feira.

As alfinetadas de Pimentel, que já foi prefeito da capital e ministro da Indústria do governo Dilma, também foram direcionadas à economia mineira. “Minas tem um problema muito sério, que é a falta de um modelo de desenvolvimento econômico e social. Minas tem uma economia do século XIX. Que choque de gestão é esse?”, completou, sendo muito aplaudido pela militância. Além de faixas e cartazes os petistas levaram “gritos de guerra” para a convenção. “Eu sou mineiro, eu falo uai. É Pimentel para governar Minas Gerais”, cantaram em coro.

Mesmo tom. Além do mote da participação popular, os apoiadores de Pimentel pretendem adotar a temática de que, para mudar basta a vontade da população, também em referência à ideia de que Minas “não tem dono”.

Ontem, o presidente estadual do PT, Odair Cunha, declarou que “os mineiros não querem uma pessoa que mora no Rio de Janeiro e só vem aqui dar migalhas ao povo”. Frases no mesmo tom foram ditas por Josué Gomes (Alencar) e Antônio Andrade.

Frases

“Que Estado é esse que coloca nas propagandas uma situação que não é verdadeira? Minas não tem dono.”

Fernando Pimentel (PT)

“O Senado é como se fosse uma entrevista de emprego. Você apresenta seu currículo e contrata a pessoa por oito anos.”

Josué Alencar (PMDB)

Tempo de TV

Adesões. Até o dia 30, a chapa petista irá definir quem serão o primeiro e o segundo suplentes na chapa ao Senado. Com o apoio de quatro partidos, o petista terá seis minutos no rádio e na TV.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave