“A Banda” teria nascido em MG

iG Minas Gerais |

Por ter nascido em berço de ouro, filho do renomado historiador Sérgio Buarque de Hollanda, Chico Buarque sempre teve pinta de bom moço. Comungava na igreja todos os dias, andava com cabelos curtos e roupas alinhadas, e teve a experiência de morar dois anos em Roma, a partir dos 9 anos de idade, onde compôs as primeiras marchinhas. Mesmo tão certinho, Chico teve seus desvios.

Prova é que, aos 14 anos, ele foi matriculado no internato Colégio Cataguases, na Zona da Mata mineira, em 1959, sob a justificativa da mãe de que o menino estava extremamente “faroleiro”. A pianista amadora Maria Amélia mal sabia que era ali que o filho teria uma experiência que projetaria sua carreira no Brasil.

A antiga secretária da escola, Sônia Maria Mota, 78, lembra que o menino de olhos azuis, segundo ela, viu pela primeira vez uma banda de música passar na rua naquele ano. “Lembro que ele ficava embaixo das árvores tocando violão e disse uma vez que seria cantor de rádio. Em um fim de semana, teve banda de música passando pela cidade, ele ficou encantado, como todo mundo que nunca havia visto aquilo na vida. Alguns dizem que a música ‘A Banda’, que o projetou como fenômeno, tem inspiração em Cataguases”, diz.

Coincidentemente, Chico ouviu o LP “Chega de Saudade”, de João Gilberto, no mesmo ano, e escolheu definitivamente seu caminho, apesar de ser atraído pela literatura e de ter ingressado na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo posteriormente, em 1963. “Chico falava italiano e inglês, mas na época letras era ‘ coisa de menina’. Talvez por não poder escolher o caminho que queria, a batida do violão de João Gilberto o arrematou de vez”, diz a irmã e também cantora Miúcha. (LS)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave