Itália volta a vencer Inglaterra em Copa do Mundo e arranca na frente

Azurra, assim como em 1990, venceu os ingleses por 2 a 1, gols de Marchisio e Balotelli; Sturridge descontou para os ingleses

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES E LEANDRO CABIDO |

England's Danny Welbeck (11) falls between Italy's Gabriel Paletta (20) and Andrea Barzagli during the group D World Cup soccer match between England and Italy at the Arena da Amazonia in Manaus, Brazil, Saturday, June 14, 2014. (Antonio Calanni)
Associated Press
England's Danny Welbeck (11) falls between Italy's Gabriel Paletta (20) and Andrea Barzagli during the group D World Cup soccer match between England and Italy at the Arena da Amazonia in Manaus, Brazil, Saturday, June 14, 2014. (Antonio Calanni)

Duas grandes potencias do futebol mundial alteraram drasticamente, neste sábado, o cotidiano de Manaus, cidade localizada no centro da maior floresta tropical do planeta. Conhecida por registrar altas temperaturas, a capital amazonense viu os seus termômetros atingirem recorde máximo na Arena Amazônia, com a vitória por 2 a 1 da Itália sobre a Inglaterra, pelo Grupo D da Copa do Mundo. Gols de Marchisio e Balotelli para os italianos, com Sturridge descontando para os ingleses.

Após 24 anos, Inglaterra e Itália se cruzaram, novamente, em uma Copa do Mundo. No segundo encontro entre as seleções, mais uma vez a Azurra levou a melhor. O time de Cesare Prandelli repetiu o feito alcançado em 1990, quando, pelo mesmo placar, derrotou o time da Terra da Rainha e ficou com o terceiro lugar.

Com um futebol para inglês e todo o resto do mundo ver, a Itália garantiu seus primeiros três pontos na competição e começou a escrever uma história diferente da apresentada na Copa de 2010, quando empatou na estreia e foi eliminada ainda na primeira fase.

Mesmo sem um de seus pilares, o goleiro e capitão Gianluigi Buffon, que ficou fora da estreia por ter lesionado um dos tornozelos – o arqueiro Sirigu foi o substituto, a Azurra contou com o talento de seu maestro, Pirlo, e da astúcia de sua grande estrela, o atacante Mario Balotelli.

Os mais de 30 graus registrados neste sábado em Manaus inflamaram torcedores nas arquibancadas e os jogadores dentro de campo. O que também deve ter ficado quente foi a cabeça do príncipe Harry, membro da monarquia britânica presente ao estádio e que não deve ter gostado nada de ver a derrota da equipe de Roy Hodgson.

O primeiro baque sentido pelo filho de Charles e da falecida princesa Daiana foi anotado aos 35 minutos, por Marchisio. O meio-campista acertou um belo chute de fora da área, no canto direito de Hart, que não conseguiu impedir o balançar das redes. 1 a 0.

Pontualmente, como um rápido chá “servido as cinco”, os ingleses empataram. Foram apenas dois minutos de sofrimento, até que Rooney corresse com a bola, cruzasse a redonda para a área, onde Sturridge pegou de primeira para empatar: 1 a 1, que deve ter feito até a rainha Elizabeth perder a compostura real.

Coube ao mais aplaudido da noite pelo torcedor manauara escrever o capítulo final de mais uma vitória italiana sobre os ingleses. Ele, Mario Balotelli, ex-jogador do Manchester City – ING, atualmente no Milan-ITA, fez o segundo. “Balo” usou a cabeça, após cruzamento de Candreva, e garantiu a primeira vitória italiana. 

Leia tudo sobre: Copa do MundoMundialManausArena AmazôniaBalotelliMarchisioSturridge