Além da beleza...

Francês recomenda mergulho na cultura pernambucana; em Natal, irlandês enaltece monumento de Niemeyer

iG Minas Gerais | Tânia Ramos |

Torre de Cristal, no Parque das Escultura: moderno atrativo concorre com o Recife antigo na preferência do visitante
Francisco Brennand/divulgação
Torre de Cristal, no Parque das Escultura: moderno atrativo concorre com o Recife antigo na preferência do visitante

O francês Lucas Lacombe, 30, chegou a Recife, há 5 anos, como funcionário do Consulado de seu país, no qual atuou na assessoria de imprensa. Dois anos depois, prazo previsto para retorno à terra natal, ele decidiu se desvincular de suas funções consulares e permanecer na capital pernambucana.

“Eu percebi que o Nordeste tinha potencial para aplicar minha especialização em relações internacionais”, relembra Lacombe, que resolveu se aventurar numa carreira solo para compensar a carência da região. “As empresas nordestinas não conheciam bem o mundo lá fora, nem os estrangeiros conheciam o potencial daqui”.

Então, Lucas Lacombe se estabeleceu definitivamente na “Veneza Brasileira” e não para de se encantar com seus atrativos. “Recife tem um interessante centro histórico, com um acervo que mistura estilos portugueses e holandeses. Olinda é linda e também tem história e muitas cores”, enfatiza o francês, adiantando que é agradável caminhar pelo centro histórico das duas cidades.

Festas

Segundo ele, Recife é uma cidade cultural, com museus, mas também praias e magníficas paisagens, além de festas como São João e Carnaval, que o turista deve experimentar. Ele destaca também a riqueza da gastronomia típica, a exemplo da tapioca, da moqueca e do camarão na moranga.

No litoral sul de Pernambuco, sua dica é o balneário de Porto de Galinhas, com sua orla maravilhosa, e Carneiros, que, a seu ver, ainda tem o charme de uma praia tradicional. No litoral norte, sugere Maria Farinha.

Por fim, recomenda: “Evite não parecer muito turista”.

Natal

Irlandês faz ode a Niemeyer

Casado desde 2002 com a brasileira Valeska, o irlandês Stephen Garland decidiu, há quase 3 anos, viver entre a capital do Rio Grande do Norte e a cidade de Barcelona, na Espanha, onde dirige um festival anual de comédia.

No decorrer do ano, ele só permanece três meses na Europa. Os nove restantes ele passa em Natal, cidade de 14 km de orla – com destaque para Ponta Negra, a praia urbana mais famosa e que tem o Morro do Careca como ícone –, que, segundo o irlandês, divide-se em duas: o centro histórico e a moderna área hoteleira.

Garland se diz seduzido pelo clima da cidade, assim como por suas belas praias e gastronomia típica, principalmente a tapioca e a carne de sol, além dos bons restaurantes de peixes e frutos do mar.

Contudo, o que ele acha mais fascinante é monumento de Oscar Niemeyer, no Parque da Cidade, inaugurado em 21 de julho de 2008 e igualmente projetado pelo arquiteto.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave