Manifestação de sete horas termina sem depredação e com 11 presos

Cerca de 300 manifestantes participaram do ato e 1.200 policiais acompanharam o protesto que foi pacífico; um adolescente de 17 anos também foi apreendido

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Futebol na manifestação
Futebol na manifestação

Após cerca de sete horas, a manifestação de cerca de 300 pessoas terminou no centro da capital. Diferente do último ato, neste sábado (14), não houve registro de confronto entre policiais militares e manifestantes e nem de depredação a patrimônios públicos e privados. No total, 11 pessoas foram presas e um adolescente, de 17 anos, foi apreendido.

Por meio de nota, a Polícia Militar (PM) informou que não cerceou o direito de ir e vir dos manifestantes. "Na realidade, os policiais militares atuaram na região central da capital mineira com o objetivo de proteger os cidadãos presentes no local, incluindo os próprios manifestantes. Para isso, foram feitas abordagens e revistas apenas nos casos de manifestantes que despertam algum tipo de suspeição", explica o texto.

Porém, o grupo que esteve na praça Sete classificou a ação da polícia como "golpe moral e fascista", afirmando que estavam enclausurados.

A PM ainda ressaltou ainda que a nova estratégia evitou que houvesse violência durante o ato, bem como a apreensão de materiais que poderiam ser usados como armas, como soco inglês, coquetel molotov, máscaras, garrafa de álcool.

Relembre

Cerca de 200 manifestantes se concentraram na praça Sete na manhã deste sábado. Os 1.200 policiais fizeram um cerco no local, sendo seis policiais para cada manifestante. O tenente-coronel informou que o grupo só poderia se deslocar para a praça da Estação e que se fossem para a região do Mineirão seriam revistados um a um.

Os manifestaram realizaram uma assembleia horizontal no Pirulito da praça Sete e cogitaram "acampar" no pé do obelisco. Contudo, o grupo teve receio de sair do bloqueio dos militares e não conseguir retornar com colchões e comida.

O grupo também pensou em seguir para da Liberdade, mas no fim, aceitou ir para a praça da Estação. No caminho, mais cem pessoas se uniram ao grupo e minutos depois, foram se dispersando.

O quarteirão da praça Sete ficou fechado durante todo o protesto, e manifestantes jogaram "pelada", andaram de skate e praticaram slackline.

Leia tudo sobre: manifestaçãobalançopresossete horas