Falta de informação atrapalha torcedores na volta do jogo pelo MOVE

Sistema da BHTrans permitia a compra da ida e da volta para o Mineirão, mas usuários não foram informados e tiveram que pagar duas vezes pela mesma passagem

iG Minas Gerais | BERNARDO MIRANDA |

Torcedores que utilizaram o MOVE para voltar do Mineirão tiveram uma surpresa desagradável neste sábado (14), após a partida entre Colômbia e Grécia em Belo Horizonte.

Usuários se sentiram enganados ao procurar as estações UFMG e Mineirão, na avenida Antônio Carlos, de uso exclusivo para a linha 50. A BHTrans implantou um sistema que permitia a compra da passagem de ida, do centro, junto com a volta. Nesse caso, a pessoa ganhava uma pulseira, ao embarcar na estação Tamoios do MOVE.

No entanto, inúmeros torcedores não foram informados na hora de embarcar em direção ao estádio, pagaram o preço normal (R$ 2,85) e se viram condicionados a pagar os R$ 5,70 de ida e volta para embarcar no retorno ao centro da cidade.

Na estação UFMG, vários torcedores apareceram sem as pulseiras, e ficaram revoltados. “Isso é um roubo, enquanto não resolverem, não saio daqui. Vou fazer boletim de ocorrência!”, vociferou o empresário Gabriel Lopez, 32, ao ser notificado no guichê de compra das passagens.

Três torcedores colombianos também ficaram decepcionados com o sistema. “Me senti enganado. ninguém nos informou da pulseirinha na ida. Pagamos o preço normal e agora termos que pagar o dobro pra voltar”, lamentou Ivan Alvarez, 20, que estava junto com Laura Caiva, 23, e Janete Roja, 27. Os três se viram forçados a arcar com um prejuízo conjunto de R$ 8,55.

A BHTrans alegou que os usuários foram informados sobre o uso da pulseira na ida.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave