Universitária é apontada como um dos suspeitos de depredar viatura

Segundo dia de manifestação na praça Sete, conta com grupo que prometem não deixar o local até que a PM desafaça o bloqueio; onze pessoas já foram presas neste sábado

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

undefined

A universitária Patrícia Dantas Dias, de 25 anos, foi presa sob suspeita de integrar o grupo que danificou uma viatura da Polícia Civil na porta do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) na última quinta-feira (12). A prisão foi feita por policiais civis nessa sexta-feira (13), quando a universitária ainda vestia a mesma roupa com a qual aparece em vídeos que registram o ataque contra a viatura.

A delegada Gislaine de Oliveira Rios e a equipe de investigadores da Polícia Civil já identificaram outras cinco pessoas que praticaram crime na porta do Detran. Ela acredita que o prosseguimento do trabalho investigativo deverá apontar outros suspeitos de envolvimento neste caso e em outros crimes que teriam sido praticados na região central de Belo Horizonte no dia da abertura da Copa do Mundo. 

A delegada é responsável também pelo caso envolvendo Karinny de Magalhães Rocha Rodrigues, 19 anos, que seria do grupo conhecido como “Mídia Ninja”. Por decisão da Justiça, Karinny deixou a prisão na madrugada deste sábado (14), mas continua sob investigação pela Polícia Civil. Ela foi presa pela Polícia Militar na quinta-feira, acusada de atirar pedras contra uma viatura da Polícia Militar e uma agência do banco Itaú localizada na esquina da Avenida Amazonas com Rua Padre Belchior.

Manifestação

Cercados por policiais militares na praça Sete, os 200 manifestantes que protestam, principalmente, contra os gastos para a realização da Copa do Mundo no Brasil, prometem não deixar o local até que a PM desafaça o bloqueio. O grupo pede que as pessoas doem colchões, água e comida para montarem um acampamento.

De acordo com a assessoria da Secretaria de Governo do Estado de Minas (Segov), os 1.200 policiais militares estão no centro da capital para proteger cidadãos, patrimônios públicos e privados e para garantir a segurança de manifestantes pacíficos. Neste sábado (10), onze pessoas já foram presas nos arredores da praça Sete. O último deles estava com uma garrafa de álcool, material para a confecção de coquetel molotov e um canivete. Uma mochila com várias pedras também foi apreendida. Ela foi abandonada no quarteirão fechado da rua Rio de janeiro.

Leia tudo sobre: manifestaçãoviaturadepredaçãovandalismoocupaçãobloqueio