Alemanha constrange 'bad boy' que urinou em lobby de hotel

Nos últimos meses, o meia-lateral do Borussia Dortmund fez xixi no lobby de um hotel de Berlim após uma noite de farra e, em outro episódio, foi acusado de atirar um kebab na cara de um torcedor em Colônia

iG Minas Gerais | Da Redação |

O alemão Kevin Grosskreutz, integrante da seleção alemã que disputará a Copa, é do numeroso time dos jogadores "bad boys". Nos últimos meses, o meia-lateral do Borussia Dortmund fez xixi no lobby de um hotel de Berlim após uma noite de farra e, em outro episódio, foi acusado de atirar um kebab na cara de um torcedor em Colônia. Sua ficha corrida o tornou alvo de uma atitude controversa de seus superiores na DFB, a federação alemã. Entrevista publicada no site da entidade nesta sexta (13) foi iniciada com uma pergunta irônica sobre as encrencas do atleta, que respondeu de forma atravessada. "O quão feliz você está de não haver uma lanchonete de kebab no Campo Bahia [concentração do time em Santa Cruz Cabrália]?", perguntou o entrevistador. "Sinceramente, não acho engraçado. Não há lobby de hotel, essa [pergunta] certamente viria a seguir. Mas eu acho que essas coisas não deveriam fazer parte de nossa conversa", respondeu o jogador, que deve ser reserva durante o Mundial. "Por que? Porque você encerrou este caso?", pergunta então o jornalista. "Tudo já foi dito sobre isso. Não quero que meus erros sejam ridicularizados. Desapontei algumas pessoas, também à minha família e a mim mesmo. Mas não posso fazer nada além de implorar por desculpas, e foi o que fiz. Agora quero falar sobre esporte, sobre futebol e Copa do Mundo, esses são meus assuntos", disse Grosskreutz. Prontamente, o tabloide alemão "Bild" pôs no ar uma reportagem com o título "DFB ridiculariza Kevin Grosskreutz". O assunto apareceu também numa entrevista coletiva com os jogadores Durm e Mustafi. Diante da pergunta de uma repórter de TV alemã, ambos disseram que é preciso enterrar o tema e que o colega já respondeu por seus atos. O chefe da comunicação da DFB, que mediava a entrevista, pediu a palavra para dizer que a DFB não gosta de fofoca e tem como foco o futebol, mas às vezes se permite ironia e bom-humor. Na interpretação de alguns jornalistas alemães, a leitura feita pelo "Bild" é equivocada, e, em vez de ridicularizar Grosskreutz, a DFB tentou preservá-lo. Por este raciocínio, ao publicar a entrevista, a federação tenta enterrar o assunto logo no começo da Copa e ainda forçar o jogador a se desculpar publicamente. SOL E CHUVA A Alemanha realizou um treino fechado às 13h desta sexta (13). O horário inusual, o mesmo do jogo contra Portugal na próxima segunda (16), em Salvador, visa tentar adaptar o time ao calor. Desta vez, o tiro saiu pela culatra, pois no horário desabou um temporal em Santo André, a vila praiana no litoral sul da Bahia escolhida pelos alemães como base para a Copa.

Leia tudo sobre: futebolcopa do mundoalemanha