Em sobe-e-desce nas Copas, França estreia contra zebra

Neste domingo, os franceses querem esquecer a campanha vexatória de 2010 e confirmar o favoritismo contra a zebra Honduras, às 16h, no Beira-Rio, em Porto Alegre, na rodada de estreia do Grupo E

iG Minas Gerais | Da Redação |

Nas últimas quatro Copas, a França tem sido "oito ou oitenta": ou chega à final ou acaba eliminada ainda na fase de grupos. Neste domingo, os franceses querem esquecer a campanha vexatória de 2010 e confirmar o favoritismo contra a zebra Honduras, às 16h, no Beira-Rio, em Porto Alegre, na rodada de estreia do Grupo E. A gangorra francesa em Copas começou com o título em 1998, em casa, com atuação de gala contra o Brasil na decisão. Depois, veio o fracasso em 2002, com a eliminação na primeira fase na Coreia e no Japão. Em 2006, na Alemanha, os franceses novamente foram finalistas, mas perderam o título para a Itália. E em 2010, na África do Sul, outro vexame, com um empate e duas derrotas na fase de grupos. Se o sobe-e-desce francês se mantiver, uma grande campanha é esperada no Brasil. Porém, no segundo Mundial seguido sem o craque Zidane, que se aposentou em 2006, a qualidade da equipe é contestada. E o técnico Didier Deschamps ainda perdeu o astro Ribéry, cortado por lesão às vésperas da Copa. Com a reformulação da equipe pós-2010, a França foi às quartas-de-final da Eurocopa 2012 e garantiu vaga no Brasil com uma heroica classificação sobre a Ucrânia, na repescagem europeia -os franceses perderam por 2 a 0 como visitantes, mas se superaram no jogo de volta e se classificaram com um 3 a 0 diante de sua torcida. "Estamos em fase de reconstrução, porque a seleção ainda é associada à campanha de quatro anos atrás', disse o atacante Giroud, destaque do Arsenal. 'Os franceses ainda não esqueceram, mas queremos mostrar que podemos honrar as cores do país nesta Copa do Mundo.' Já Honduras chega à sua terceira Copa na condição de franco-atiradora. Numa chave que ainda contra com Suíça e Equador, os hondurenhos sabem que a classificação às oitavas é improvável, mas não impossível. "Só tenho que pensar que se fizermos um gol, será um marco. Já ganhar três pontos é fazer história. E temos que nos entregar totalmente e jogar muito bem para conseguirmos a classificação", afirmou o treinador Luis Fernando Suárez.

Leia tudo sobre: copa do mundofrançaholanda