Presidente promete resposta a separatistas que abateram avião militar

Grupo pró-Rússia derrubou avião de transporte de militares ucranianos nessa sexta-feira (13), matando 49 pessoas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ukrainian presidential candidate Petro Poroshenko  reacts during his press conference in Kiev, Ukraine, Sunday, May 25, 2014. An exit poll showed that billionaire candy-maker Petro Poroshenko won Ukraine's presidential election outright Sunday in the first round â?? a vote that authorities hoped would unify the fractured nation. (AP Photo/Mykola Lazarenko, Pool)
Associated Press
Ukrainian presidential candidate Petro Poroshenko reacts during his press conference in Kiev, Ukraine, Sunday, May 25, 2014. An exit poll showed that billionaire candy-maker Petro Poroshenko won Ukraine's presidential election outright Sunday in the first round â?? a vote that authorities hoped would unify the fractured nation. (AP Photo/Mykola Lazarenko, Pool)

O Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko  prometeu neste sábado (14) dar uma resposta adequada aos separatistas pró-russos que derrubaram um avião de transporte militar, matando 49 pessoas.

O ataque ocorreu na noite dessa sexta-feira (13), em Lugansk, no Leste da Ucrânia. “Os que estão envolvidos neste ato cínico de terror em tão larga escala serão certamente punidos. A Ucrânia precisa de paz. Mas os terroristas vão receber uma resposta adequada”, disse Poroshenko.

O avião militar Ilyushin-76 transportava um grupo de soldados, destacados para substituir outros na operação antiterrorista lançada há dois meses por Kiev contra os separatistas pró-russos.

Segundo a Agência ucraniana TSN, o avião transportava 40 paraquedistas da 25.ª Brigada Aerotransportada de Dnepropetrovsk, além da tripulação, formada por nove soldados.

“Os terroristas, cínica e traiçoeiramente, abriram fogo com uma metralhadora de alto calibre contra um Ilyushin-76 da Força Aérea ucraniana que transportava soldados e que se preparava para aterrizar no aeroporto de Lugansk”, informou o Ministério da Defesa ucraniano.

 

Agência Brasil

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave