Associação defende mesmos benefícios

iG Minas Gerais | Flávia Carneiro |

O procurador de Justiça Nedens Ulisses Freire Vieira, presidente da Associação Mineira do Ministério Público (AMMP), defende o projeto que prevê os benefícios para a categoria. Ele esteve na Assembleia, nesta semana, para acompanhar a votação, em primeiro turno, do Projeto de Lei Complementar 62/2014, que dispõe sobre a organização do Ministério Público de Minas Gerais.  

Nedens Ulisses explicou que promotores e procuradores não podem exercer outra profissão e, por isso, são tão importantes as gratificações previstas no projeto de lei, no que se refere às gratificações para cargos de coordenação de promotorias e de turmas sucursais.

O presidente da AMMP afirmou ainda que o projeto prevê também a recomposição salarial para promotores e procuradores do Estado. “A categoria sofre com o achatamento nos salários, pois ficou sem aumento entre os anos de 2005 e 2013, enquanto a inflação no período atingiu quase 40%”, defendeu Nedens Ulisses.

O salário inicial do promotor do Ministério Público de Minas é de R$ 22.797 e pode chegar a R$ 26. 589 se for promovido a procurador. É o mesmo valor pago aos desembargadores do TJMG. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave