Motos e sinalização elevam risco

iG Minas Gerais | Laura Zschaber |

Quem usa as passarelas para cruzar o Anel Rodoviário ainda lida com outros riscos. Durante os 15 minutos que a reportagem ficou na estrutura que liga o bairro Palmeiras ao Bonsucesso, três motociclistas usaram a travessia de pedestres para chegar do outro lado da rodovia. A manicure Rosângela Freitas, 25, precisa atravessar o Anel para chegar ao trabalho e conta que todos os dias vê motoqueiros cometendo a infração. “O risco de ser atropelada é quase o mesmo aqui em cima. Falta fiscalização”.  

Segundo o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), transitar com o veículo em passarelas é infração gravíssima prevista no Código de Trânsito Brasileiro. O condutor pode perder sete pontos na carteira de habilitação, além de ter que arcar com a multa de R$ 574,62. Em Minas, foram registradas 194 infrações do tipo em 2013.

Sinalização. A falta de placas de indicação da altura nas passarelas também gera risco para pedestres e motoristas de veículos de carga. Em pelo menos três passarelas do Anel, na altura dos bairros Olhos D’Água, Betânia e Bonsucesso, não há a sinalização. Nesta última, parte da estrutura está amassada e com marcas de tintura, o que mostra que já foi alvo de algum caminhão.

Nos pontos em que existem placas, muitas delas estão pichadas, obstruindo a informação. Segundo o Dnit, quando um veículo causa avaria em bem público, a conta é cobrada do motorista – quando o pagamento não é feito, é aberta uma ação judicial. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave