Uruguai inicia caminhada por novos dias de glória

Embalados pelo Maracanazzo, uruguaios estreiam contra Costa Rica neste sábado

iG Minas Gerais |

Uruguaios se preparam para duelo contra os caribenhos
Fernando Llano/AP photo
Uruguaios se preparam para duelo contra os caribenhos

Depois de 64 anos, o Uruguai volta a jogar uma partida de Copa do Mundo no Brasil. Campeões em 1950, os nossos vizinhos são o maior fantasma da história do futebol brasileiro. Para ter a chance de repetir um novo Maracanazo, a equipe dirigida pelo técnico Oscar Tabárez não pode falhar diante da Costa Rica, neste sábado, às 16h, no Castelão, em Fortaleza.

A tradição e a qualidade dos jogadores indicam que o Uruguai pode repetir o feito do time de Obdulio Varela em terras tupiniquins. Mas a tarefa não vai ser nada fácil. Embora seja cabeça de chave do grupo D, a Celeste Olímpica não teve tanta sorte no sorteio. Se a estreia é contra a Costa Rica, os outros dois adversários são a Inglaterra e a Itália.

Portanto, não perder pontos para a equipe caribenha passou a ser obrigação para os uruguaios, o que faz a presença de Luis Suárez em campo ser o grande diferencial. O atacante do Liverpool passou por uma artroscopia no joelho esquerdo no fim de maio. O camisa 9 do Uruguai já treinou normalmente, mas seu aproveitamento desde o início do jogo de hoje segue como uma incógnita para os torcedores da Celeste Olímpica.

“Acreditamos que a Costa Rica seja um rival muito difícil e a enfrentamos em uma partida que pode ser crucial. Você não termina nada na primeira rodada, mas conseguir pontos seria muito importante, e não conseguir aumentaria a pressão”, disse Tabárez, que ainda não confirmou qual vai ser o time que começa o jogo.

Se a pressão do resultado está toda com o Uruguai e também com as outras equipes do grupo – por serem todas campeãs mundiais –, a Costa Rica quer usar esse fator como diferencial. Apontada como o “saco de pancadas”, a equipe caribenha espera usar a pressão sobre os adversários para surpreender o mundo e conseguir uma classificação, o que realmente seria algo histórico.

“Todo mundo quer jogar contra as melhores equipes. É assim que você sabe que é a Copa. Vamos jogar contra três campeões mundiais. O que é melhor do que isso?”, brincou Bryan Ruiz, o astro da equipe de Costa Rica.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave