Caminhos de Messi e R10 se cruzam mais uma vez

Ídolos de Argentina e Brasil mostram carinho mútuo e esperam encontro durante a Copa do Mundo

iG Minas Gerais | Felipe Ribeiro |

Cidade do Galo sentiu em seu campo, só neste ano, o peso de seis títulos de melhor jogador do mundo. Dois com Ronaldinho Gaúcho e agora mais quatro com o argentino Lionel Messi
JOAO GODINHO / O TEMPO
Cidade do Galo sentiu em seu campo, só neste ano, o peso de seis títulos de melhor jogador do mundo. Dois com Ronaldinho Gaúcho e agora mais quatro com o argentino Lionel Messi

Um foi melhor jogador do mundo em dois anos. O outro já venceu o prêmio por quatro temporadas consecutivas. Ronaldinho e Messi têm muito mais do que a genialidade em comum. O camisa 10 brasileiro não jogou tanto tempo ao lado do argentino na Catalunha, mas preparou o terreno para que o então garoto com futuro promissor fosse se acostumando com a pressão que o aguardava e não a sentisse em momentos de decisão. Mas o relógio andou, e caminhos distintos foram tomados pelos dois talentosos jogadores.

Depois da saída de R10 do Barça, ele passou sem destaque por Milan e Flamengo até chegar ao Atlético para recuperar seu brilho. Já Messi continua fazendo história pelo time catalão, mas, por obra do destino, hoje frequenta os mesmos locais a que Ronaldinho está mais do que acostumado. A Argentina faz sua preparação para a Copa na Cidade do Galo, onde o craque brasileiro treina e se concentra, além de já ter se exibido no Independência, estádio em que o maestro alvinegro joga e onde jamais perdeu uma partida.

“Tive uma relação fantástica com ele. Ronaldinho foi responsável pela mudança do Barça. Ele me ajudou, e aprendi muito com ele, que era a referência do time”, disse Messi em julho do ano passado, quando se completou uma década da contratação do brasileiro pelo Barça.

Em diversas vezes os elogios foram retribuídos pelo gaúcho. “O único arrependimento que tenho é de não ter jogado mais temporadas ao lado de Messi. Ele é um bom amigo. Foi emocionante ver que aquele garoto era capaz de fazer coisas que a maioria dos jogadores poderiam apenas sonhar. É um grande jogador”, disse certa vez Ronaldinho.

Um reencontro entre os dois históricos donos da camisa 10 do Barcelona em terras brasileiras não está previsto, mas informações de bastidores dão conta de que isso poderá acontecer durante a estadia hermana na Cidade do Galo. Se for confirmado, deverá ser em um horário alternativo, sem a presença da imprensa, para que não cause tanto alvoroço. Afinal de contas, juntar dois astros mundiais seria uma missão e tanto para a Argentina controlar o ímpeto de repórteres e fotógrafos ávidos por registrar esse momento.

Enquanto o reencontro não se realiza, a torcida atleticana brinca nas redes sociais pedindo para que o presidente Alexandre Kalil dê um jeito de “prender” Messi no CT para reeditar a parceria, só que trocando o azul e grená pelo preto e branco.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave