Com gregos e colombianos, Mundial volta a BH

Palco de uma das maiores zebras da história das Copas, BH recebe seleções emergentes neste sábado

iG Minas Gerais | Antônio Anderson / Bernardo Miranda |

MG/BELO HORIZONTE/ESPORTES/13-06-14/TORCEDORES COLOMBIANOS FAZEM A FESTA NA ENTRADA  DO MINEIRAO. FOTO CARLOS RHIENCK/HOJE EM DIA
CARLOS RHIENCK/HOJE EM DIA
MG/BELO HORIZONTE/ESPORTES/13-06-14/TORCEDORES COLOMBIANOS FAZEM A FESTA NA ENTRADA DO MINEIRAO. FOTO CARLOS RHIENCK/HOJE EM DIA

Pelo grupo C da Copa do Mundo, Colômbia e Grécia se enfrentam neste sábado, às 13h, no Mineirão, em um jogo especial para a torcida mineira, que depois de 64 anos volta a ter a chance de acompanhar de perto uma partida em Belo Horizonte pela competição.

A última vez em que a capital mineira recebeu partidas pelo Mundial de seleções organizado pela Fifa foi em 1950, quando o recém-inaugurado Independência foi palco de três jogos, com destaque para a surpreendente vitória dos Estados Unidos sobre a Inglaterra por 1 a 0.

Desta vez, o palco na capital mineira para o Mundial será o Mineirão, e, se depender do entusiasmo da torcida para o confronto entre colombianos e gregos, pode-se esperar casa cheia. “Eu estou confiante em que faremos a final contra o Brasil. Mesmo com todos os desfalques, a nossa equipe vem forte e está bem preparada”, afirmou o torcedor colombiano que se identificou como “Pulpito Hincha”.

Responsáveis pelo espetáculo, Colômbia e Grécia estão determinadas a fazer uma boa apresentação e arrancar com vitória no grupo. “Chegamos para o Mundial no Brasil com o objetivo de sermos protagonistas e irmos o mais longe possível”, destacou José Pékerman, técnico da seleção colombiana, que perdeu jogadores importantes por contusão, como o zagueiro Luis Perea, o volante Valência, o meia Aldo Ramírez e os atacantes Falcao Garcia e Luís Muriel.

“Enfrentamos problemas, e eles ficaram para trás, e não vamos mais falar sobre isso. Claro que não posso negar que gostaria de ter o Falcao na seleção, mas estamos olhando para a frente e nos sentimos fortes para fazer uma boa campanha”, destacou Pékerman.

Na Grécia, que só garantiu vaga no Mundial na repescagem, o técnico português Fernando Santos até tentou espantar a fama de seleção retranqueira, mas foi traído justamente pelo seu principal atacante. “Os colombianos não devem se preocupar apenas com a defesa da Grécia, e sim com a equipe inteira. Não estamos aqui para passear, viemos para ganhar e vamos jogar para ganhar”, ressaltou o comandante.

O problema é que o treinador foi praticamente desmentido em seguida, ironicamente, por aquele que é a maior esperança de gols da Grécia. “Como nosso técnico diz, futebol é simples, se não levarmos gol, precisamos marcar apenas um para vencer. Essa é, historicamente, a filosofia do futebol grego”, afirmou o atacante Georgos Samaras, que atua no Celtic, da Escócia, enquanto Santos balançava a cabeça negativamente ao seu lado, na entrevista.

Quem também falou foi o capitão Georgos Karagounis, o único remanescente da seleção grega campeã da Eurocopa em 2004. “Seria incrível conseguir repetir aquele feito, agora na Copa do Mundo, e acreditamos que é possível”, afirmou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave