Hodgson minimiza reclamações sobre clima e enfatiza 'calor da torcida'

Treinador britânico colocou "panos quentes" em declarações feitas no passado e exaltou receptividade dos manauaras

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES E LEANDRO CABIDO |

MANAUS - Inglaterra e Itália, duas seleções campeãs mundiais, prometem esquentar ainda mais o clima de Manaus, às 19h deste sábado, na Arena Amazônia. Durante o encontro de duas das grandes potências do futebol, a promessa é de um jogo quente dentro e fora de campo.

Além do embate de craques como Pirlo, Lampard, Mario Balotelli e Wayne Rooney, a meteorologia prevê temperaturas acima dos 30 graus e umidade quase na casa dos 90% na hora do duelo.

O técnico inglês Roy Hodgson, que chegou a reclamar de fatores geográficos e climáticos de Manaus no fim do ano passado, “muda o disco” e adota um novo discurso.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, na Arena Amazônia, o treinador britânico evitou fazer críticas aos fatores naturais de Manaus. 

“Não estamos preocupados com o calor. Nessa Copa do Mundo já vi jogos sendo disputados sob forte chuva, por exemplo. Nossa estratégia de jogo não será diferente para jogar em Manaus ou em São Paulo. Vamos jogar da nossa maneira. Se houver algum problema, teremos três substituições a fazer e atletas capazes de mudar a partida podem entrar. Estamos preparados física e mentalmente”, garantiu Hodgson.

O comandante do “English Team” ainda se mostrou impressionado pelo fato de, mesmo com as polêmicas geradas por suas declarações, ter recebido, juntamente com os jogadores, ótima receptividade em solo manauara.

“Em relação à receptividade, mal pude acreditar no entusiasmo das pessoas aqui. Os jogadores queriam passear no shopping, mas tiveram que cancelar por causa do assédio. Infelizmente, o técnico pode ser mal interpretado. Mas se houve algum problema, ele acabou há pelo menos seis meses”, comentou.

Leia tudo sobre: inglaterraitáliaCopa do MundoRoy HodgsonManaus