Seleção do Equador é recebida com gritos de 'sí, se puede' em Brasília

Mesmo com recepção calorosa, jogadores foram direto para o hotel da capital brasileira

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Meia Tilson Minda afirmou que espera uma estreia com vitória sobre a Suíça, no próximo domingo
Reprodução Facebook
Meia Tilson Minda afirmou que espera uma estreia com vitória sobre a Suíça, no próximo domingo

Cerca de 100 equatorianos se reuniram nesta sexta-feira (13) em frente ao hotel onde a seleção do Equador ficará hospedada em Brasília para a estreia na Copa do Mundo. Ela enfrenta a Suíça no domingo (15) pela primeira fase do Mundial.

Aos gritos de "Sí, se puede" (sim, é possível, em português), eles esperaram os jogadores por mais de duas horas. No entanto, a empolgação da torcida não foi suficiente para despertar a simpatia do time. Ao chegar ao hotel, os atletas não esboçaram nenhuma reação à presença da torcida e nem sequer acenaram aos compatriotas.

"Não sei porque eles não deram nenhum tchau. Não sei se estão ansiosos ou cansados, mas a gente também está cansado da viagem", afirmou o jornalista independente Raul Ricaurte.

Ele e o amigo Allen Vallejo saíram de Quito, capital do Equador, no início de maio e percorreram mais de 6 mil km de carona e de ônibus até chegar a Brasília no início da semana.

Eles esperam ver a seleção equatoriana chegar às finais e disputar o título com o Brasil. "Acho que podemos ir longe nessa Copa e, por que não, chegar à final. Mas se isso não acontecer, queremos pelo menos uma final latino-americana, com Brasil e Colômbia, por exemplo. Torcemos por todos os países da América Latina", disse Allen.

Eles estão acampados na Embaixada do Equador, em Brasília, que abriu suas portas para quem não tivesse hospedagem na capital. "Assim que chegamos aqui soubemos disso e aproveitamos para ficar lá e economizar. Achamos muito boa a ideia e eles estão oferecendo toda a ajuda que precisamos", contou Allen.

O dentista Vicente Toscano, de 68 anos, também chegou ao Brasil nesta semana e pretende acompanhar a seleção do Equador em todos os jogos. Para ele, o melhor da Copa será conhecer as cidades brasileiras e a festa feita em uma Copa do Mundo. "Temos possibilidades e queremos o melhor para cada país. Podemos chegar à final e vamos torcer por isso", disse.

Após a chegada da seleção, a funkeira brasiliense MC Bandida roubou a cena na frente do hotel. Dançando e rebolando, ela chegou ao local para tentar um autógrafo de Valencia, craque do time e jogador do Manchester United, da Inglaterra.

A funkeira afirmou que irá torcer pelo Equador no domingo porque seu produtor, José Carlos Quezada, é equatoriano. "No jogo vou apoiar o Equador mas depois sou totalmente Brasil", disse.

A seleção do Equador faz seu primeiro treino no fim da tarde em Brasília. Ela joga domingo (15) contra a Suíça, pela primeira fase da Copa. Os jogadores suíços desembarcam em Brasília hoje à noite e devem treinar neste sábado (14). Eles irão ficar hospedados em um hotel ao lado dos equatorianos. Por dois dias, as duas seleções também serão vizinhas do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.

De acordo com a Embaixada do Equador, são esperados entre 6.000 a 8.000 equatorianos em Brasília para o jogo deste domingo (15).