Prisão preventiva de taxista que estuprou 16 mulheres é decretada

Homem estava preso desde o dia 26 de maio em prisão temporária, sendo que a preventiva foi cumprida na quarta-feira (11)

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Cidades - Belo Horizonte - MG
Taxista suspeito de estuprar pelo menos 17 mulheres

Na foto: Isnard Martins Vieira

FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 26.05.2014
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Cidades - Belo Horizonte - MG Taxista suspeito de estuprar pelo menos 17 mulheres Na foto: Isnard Martins Vieira FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 26.05.2014

A prisão preventiva do taxista Ismard Martins Vieira, de 39 anos, que estuprou pelo menos 16 mulheres em Belo Horizonte, foi decretada pela justiça nesta semana. Segundo a delegada responsável pelo inquérito, Andréa Aparecida Alves da Cunha, o decreto saiu e foi cumprido na última quarta-feira (11). 

O suspeito foi detido no último dia 26 de maio em sua casa, no bairro Piratininga, na região de Venda Nova. Desde sua prisão, um total de 20 mulheres foram ouvidas na delegacia, sendo que 16 o reconheceram como autor dos estupros. Duas mulheres chegaram a ser abordadas por Vieira, porém, não entraram no veículo e escaparam do abuso. Somente outras duas não o reconheceram como autor.

O taxista estava na penitenciária Inspetor José Martinho Drumond, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de BH, desde a sua prisão, cumprindo um mandado de prisão temporária. Após ouvir todas as testemunhas, a delegada Andréa representou pela prisão preventiva. "Cumprimos a prisão no mesmo dia que a Justiça decretou", contou a policial. 

Relembre o caso

Vieira foi detido após investigação de três anos da Polícia Civil, sendo que um retrato falado auxiliou na sua identificação. Ele abordava as mulheres dizendo que elas estavam sendo seguidas e oferecia carona. Se as vítimas não entrassem no carro, ele as ameaçava, dizendo que estava armado. 

Ele agia principalmente em bairros das regiões de Venda Nova, Pampulha, Noroeste e Central de Belo Horizonte. No dia de sua prisão, no táxi usado por ele para estuprar as vítimas, foram encontradas várias calcinhas que Vieira entregava às vítimas para que elas se trocassem, caso estivessem com uma lingerie que o agradasse.

O suspeito, que é casado e tem um filho de 13 anos, confessou os crimes no dia de sua prisão.

Leia tudo sobre: taxistavenda novaestupradorestuprotaxiprisão preventivadelegadatemporária16 estupros