NASA faz testes e mostra que Brazuca é melhor que Jabulani

De acordo com a Adidas, empresa responsável pela produção das bolas oficiais da competição da FIFA, bola de 2010 possuía uma costura que não a deixava ter uma rotação normal

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

undefined

Se a bola da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, foi duramente criticada por jogadores e técnicos por sua imprevisibilidade, a Brazuca, que está entrando em campo nas partidas realizadas na competição desse ano, vem sendo elogiada até mesmo por cientistas de organizações famosas e respeitadas.

De acordo com a Adidas, empresa responsável pela produção das bolas oficiais da competição da FIFA, a Jabulani possuía uma costura que não a deixava ter uma rotação normal, o que dificultava na hora de saber o trajeto que ela iria percorrer.

A NASA, agência de pesquisa e tecnologia espacial dos Estados Unidos, afirmou que trabalhou junto a Adidas para aperfeiçoar a bola para o mundial do Brasil. De acordo com a empresa, ela possui apenas seis painéis em sua superfície - dois a menos que a Jabulani. Além disso, ela apresenta alguns 'calombos' no couro, o que contribui para uma aerodinâmica melhor.

“Uma fina camada de ar se forma próximo da superfície da bola e essa camada é crítica para a performance”, explica Rabi Mehat, chefe do laboratório da NASA.

Um teste realizado dentro de um túnel de vento comprovou a eficácia da bola.

“Os jogadores vão ficar felizes com a nova bola”, afirma Mehta. “Ela está mais estável no voo e vai se comportar mais como uma bola tradicional de 32 painéis”.

Apesar de o aspecto mais áspero da Brazuca a torne mais lenta, isso ajuda para que ocorram menos guinadas inesperadas e para que os jogadores tenham mais controle sobre seu movimento. As seleções agradecem!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave