Em manifestação , PM 'agiu como é seu dever', diz Geraldo Alckmin

O Batalhão de Choque usou balas de borracha e bombas de gás para dispersar manifestantes na Radial Leste e na estação do metrô Tatuapé

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse que a Polícia Militar "agiu como é seu dever" e "evitou um problema maior" nas ações contra manifestantes nesta quinta-feira (12), primeiro dia de Copa do Mundo.

"Imagine as consequências se a polícia não tivesse agido e permitisse a ocupação da Radial Leste e das estações de metrô com 80 mil pessoas querendo ir ao estádio utilizando os meios de transporte", afirmou Alckmin nesta sexta (13), após inauguração de um centro de radioterapia no hospital Heliópolis, na zona sul da capital.

Segundo ele, excessos serão "apurados pela Corregedoria" da PM e "corrigidos".

O Batalhão de Choque usou balas de borracha e bombas de gás para dispersar manifestantes na Radial Leste e na estação do metrô Tatuapé. Ao menos 11 pessoas ficaram feridas, entre elas duas jornalistas da CNN.

"Se a polícia não age de maneira firme, isso pode ter consequências maiores", disse o governador. Segundo ele, "o direito dos jornalistas está totalmente preservado". "Graças a Deus, não houve incidentes mais graves. Todos já estão em casa, tudo está resolvido", disse.

De acordo com Alckmin, se a polícia não tivesse agido assim, "o próprio torcedor pode querer atravessar [à força] a Radial Leste ou entrar na estação".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave